Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


||| Varre para debaixo do tapete(rectificado).

por Tomás Vasques, em 06.02.09

Declarações de Edmundo Pedro foram hoje noticia, com largos comentários, tanto à esquerda, como à direita, porque falou em «medo» dentro do PS, mas ninguém se referiu ao essencial das suas declarações , quando falou do PCP e do BE: «Gosto de malhar com especial prazer nesses sujeitos e sujeitas que se situam de facto à direita do PS. São das forças mais conservadoras e reaccionárias que eu conheço e que gostam de se dizer de esquerda plebeia ou chique» (Declarações de Santos Silva, em resposta a Edmundo Pedro, obviamente).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:26

||| Canal história. Sonhos.

por Tomás Vasques, em 04.02.09

Conta-se que, em 1980, Olof Palme enviou a Portugal um dos seus especialistas em marketing político – profissão ainda pouco usada naquele tempo no nosso país – para aconselhar os socialistas portugueses na campanha eleitoral. Era então primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro e a Aliança Democrática governava com maioria absoluta. Aqui chegado, foi informado do que por aqui se passava. Dizem que, no final do brainstorming, o sueco terá comentado: vocês acusam o primeiro-ministro de ir para a cama com uma sueca e de ter enganado um Banco? Não há nada a fazer. Já perderam as eleições. Mas porquê – Interrogaram-no. Porque ir para a cama com uma sueca e enganar um Banco deve ser o sonho de qualquer português.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:12

||| O povo é sereno.

por Tomás Vasques, em 02.02.09

Depois de uma semana em que muitos apostaram na subversão do Estado de Direito, pretendendo que a comunicação social desempenhasse o papel constitucionalmente conferido ao Ministério Público e aos Tribunais, numa explosiva mistura entre acusação, julgamento e condenação, à moda dos tribunais plenários ou dos processos de Moscovo, os telejornais – pelo menos o da SIC – voltaram à normalidade e elegeram o desemprego (e as suas consequências na vida de quem perde o seu emprego) como tema principal, como lhe compete. Esperemos que o Ministério Público seja eficiente e célere na investigação do «caso Freeport», como lhe compete.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:29

||| O feitiço e o feiticeiro.

por Tomás Vasques, em 31.01.09

Manuela Ferreira Leite deu uma conferência de imprensa, onde apresentou um «plano contra a crise». Quase ninguém deu por isso. Manuela Ferreira Leite dirige o maior partido da oposição e as suas propostas para resolver a crise que nos atormenta são importantes. Ou deviam ser. Se nos mandam à procura do primo de José Sócrates como é que podemos ter tempo para ver conferências de imprensa da líder da oposição? Decidam-se!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:39

||| Segredo de justiça e comunicação social.

por Tomás Vasques, em 31.01.09

Estou mortinho por saber qual vai ser a resposta do Ministério Público à polícia inglesa quanto a esta questão:

 

«A política da Polícia da Cidade de Londres e da Serious Fraud Office relativamente aos meios da comunicação social é actualmente a de não efectuar comentários, ou de declarar que “não nos é possível comentar” no tocante a quaisquer pedidos de informação recebidos. / Agradecia que esclarecesse quais as medidas, se as houver, que estão a ser tomadas relativamente à divulgação não autorizada de informação. / Agradecia que esclarecesse qual a política actual dos departamentos do Ministério Público e da Polícia em Portugal em matéria dos meios de comunicação social relativamente a este caso.»

 

(texto citado via Eduardo Pitta)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:09

A questão política que salta, neste momento, do «caso Freeport» é saber se o primeiro-ministro está ou não fragilizado politicamente e quais as consequências na governação do país em tempos de profunda crise internacional. O resto é matéria das polícias de investigação do Ministério Público e dos Tribunais. Só estes permitem a produção de prova e a acusação, a defesa, o julgamento, a absolvição ou a condenação. As acusações, julgamentos e condenações na praça pública não são admissíveis em democracia. Senão qualquer dia, o poder conferido aos portugueses, exercido através de eleições, é transferido para a «comunicação social» ou para o Ministério Público.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:29

||| Entregar a carta a Garcia.

por Tomás Vasques, em 30.01.09

||| Crenças, cada um toma a que quer.

por Tomás Vasques, em 30.01.09

Alguns textos lidos por essa blogosfera fora levam-me a crer que há quem acredite que a Nossa Senhora de Fátima virá a Portugal, ainda este ano, para nos livrar de José Sócrates, tal como veio, em 1917, para nos livrar dos comunistas russos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:05

Hoje foi aprovado, no Parlamento, o Orçamento suplementar. As oposições juntaram-se no voto contra. Desde Paulo Portas a Francisco Louça. E brandiram as mais duras críticas. Algum português – aparte aquela ínfima parte do costume – deu conta disso? Claro que não. Estão todos entretidos com a telenovela Freeport .É isso que a agenda mediática lhes dá.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:57

||| Canal história (Rectificado).

por Tomás Vasques, em 29.01.09

Em 1980, ano de eleições legislativas, era então Francisco Sá Carneiro primeiro-ministro, a Oposição resvalou para a «luta policial» (em vez da luta política). O Diário, jornal do PCP, foi o primeiro a lançar a campanha das alegadas dívidas de Francisco Sá Carneiro à banca (à mistura, a Oposição envolveu a sua vida pessoal e privada ao barulho, tendo inclusivamente Mário Soares falado sobre o assunto num debate com Freitas do Amaral) e insistiu no tema até à exaustão. Em meados de Agosto, na RTP – não haviam mais canais e tinha acabado de estrear o colorido – Sá Carneiro defendeu-se do «combate larvar» que lhe moviam. Em Outubro, a AD obteve a segunda maioria absoluta.

(Vitor Dias chamou-me à atenção para o facto de nem o Diário, nem o PCP se terem pronunciado sobre a vida pessoal de Sá Carneiro, referindo-me o facto de Mário Soares o ter feito num debate com Freitas do Amaral, o que é verdade.)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:18

João Miranda passou-se dos carretos e misturou conceitos de direito penal com direito do trabalho. Quando deitarmos pela borda fora as liberdades, direitos e garantias dos cidadãos, tão arduamente conquistadas ao longo de séculos, deixaremos de ter empregadas domésticas. Passaremos todos a «servidores do Estado», como o empregado de mesa do restaurante Floridita, na Calle Obispo, em Havana.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:49

Situacionistas são todos aqueles que estiveram contra a invasão do Iraque, a qual provocou quase um milhão de mortos. Não se deve mostrar a realidade porque não corresponde à minha opinião. Isto é o mesmo que tirar  Trotsky da fotografia.

 

«5 de Maio de 2003 - Noticiário das 22 horas - apresentação de um livro de poemas contra a guerra no Iraque . Música e imagens de fundo propagandísticas de responsabilidade dos autores do noticiário. Soldados americanos, bombas, sofrimento nos hospitais. Será que os nossos jornalistas não percebem que inserir estas peças num noticiário é pura propaganda e nada tem a ver com jornalismo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:07

 

Situacionismo é tudo aquilo que não corresponda à minha opinião, enquanto eu (e os meus) estivermos na oposição. Quando eu (e os meus) estivermos no poder, situacionismo é tudo aquilo que não acompanha a mudança que o meu Governo quer realizar; ou seja, tudo aquilo que não corresponde à minha opinião. Em suma, se és hoje um situacionista por não acompanhares a minha opinião, não tens alternativa:  ou te subordinas ou serás situacionista toda a vida. Isto é o que diz a minha prima Hermenegilda e  Jerónimo de Sousa, seguindo ambos os ensinamentos dos «mestres pensadores».

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:39

«Quem bebe pelo gargalo, compra a garrafa

 

João Gonçalves, Portugal dos Pequeninos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:13

||| Política à portuguesa.

por Tomás Vasques, em 28.01.09

Hoje foi dia de debate no Parlamento. As políticas económicas e sociais eram, segundo leio nos jornais, o principal tema do debate. Uma excelente oportunidade para a Oposição questionar o governo sobre tais políticas, sobretudo neste difícil ano de 2009. Certamente haveria muito a debater, principalmente porque todos os dias chovem notícias preocupantes. Anteontem, meia dúzia de empresas anunciaram mais de 70 000 despedimentos de trabalhadores na Europa e nos Estados Unidos. Hoje, foi divulgado um relatório da Organização Internacional do Trabalho, onde se prevê que: «Quarenta milhões de pessoas podem engrossar este ano o número de desempregados no mundo». Também hoje o FMI divulgou um relatório onde diz que se «agrava queda das principais economias que são clientes de Portugal». Coisa pouca para interessar à Oposição. As consequências, entre nós, da deterioração da economia mundial não merecem grande atenção aos partidos que não estão no Governo. Se não é assim, assim parece. As duas primeiras notícia do Público sobre o debate de hoje, no Parlamento, sobre as políticas económicas e sociais foram: «PSD e CDS questionam credibilidade de estudo sobre 1º ciclo do ensino básico» (às 15h.31) e, a segunda, sobre «o licenciamento do Freeport». (às 18h.19). Se o que se passou no Parlamento corresponde aos destaques noticiosos do Público é caso para dizer: a Oposição demitiu-se completamente de apresentar aos portugueses políticas económicas e sociais alternativas às praticadas pelo Governo. Certamente porque não tem alternativa. E, assim sendo, a única coisa que podem fazer, a única coisa que está ao seu alcance, é transferir o «combate político» para o único terreno em que se movimentam com peixe na água: meter lama na ventoinha. Convenhamos que é pouco, muito pouco, para quem pretender governar Portugal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:16



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.