Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



DEMOCRACIA À MODA DE BERLIM.

por Tomás Vasques, em 09.07.13

É democraticamente imoral esta encenação do presidente da República "ouvir" os partidos, os parceiros sociais e personalidades e "só depois dirá se aceita ou não a solução governativa proposta pela coligação ou marca eleições", como escreve uma ilustre jornalista no Expresso, quando sabemos que, ontem, na reunião do Eurogrupo, a novata ministra das Finanças informou os seus pares que " a crise política já estava resolvida", recebendo em troca muitos beijinhos e abraços. Toda esta palhaçada corrói a confiança dos portugueses na democracia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:25

A ARROGÃNCIA PAGA-SE?

por Tomás Vasques, em 09.07.13

Depois de mais de uma semana fora, amanhã de manhã cedo vou voltar à minha aldeia, às minhas galinhas, patos e gansos e aos meus gatos. Já tenho muitas saudades. Mas, tenho que confessar: perante o marasmo e o cinzentismo de tudo isto, gostei do "golpe de Estado" de Paulo Portas. Não vai resolver nada de essêncial, mas ver o cardeal patriarca, Wolfgang Schäuble e Cavaco Silva rendidos a um acordo de coligação que representa a maior humilhação que um líder do PSD e que um partido sofreram nos últimos 38 anos, deixou-me bem disposto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:19

DEMOCRACIA E SERVILISMO.

por Tomás Vasques, em 09.07.13

Que os governos português e espanhol tenham impedido a escala ou uso do espaço aéreo ao avião presidencial de Evo Morales, da Bolívia, compreende-se. Rajoy, é amigo político de Aznar, e Passos Coelho é amigo político de Durão Barroso. Aznar e Barroso estiveram juntos, nas Lages, com Bush a preparar a invasão do Iraque. Mas que Hollande, o presidenete socialista  da França, tenha interditasdo o espaço aéreo francês ao avião do presidente da Bolívia mostra bem o estado de degenerescência democrática e de servilismo em que a Europa se afunda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:16

O "NOVO" GOVERNO JÁ ESTÁ ABENÇOADO.

por Tomás Vasques, em 09.07.13

Escrevi por aí que o "novo" governo, primeiro, foi receber a bênção da Igreja, nos Jerónimos. Só depois irá receber a bênção da República, em Belém. Por pressa ou desatenção democrática omiti que, depois da Igreja, e antes do presidente da República, faltava ainda a bênção da capital do Império. Essa bênção chegou hoje de Berlim. O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, aprovou o acordo e diz que ficou descansado. Que descanse em paz, digo-lhe eu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:13

O FIM DO AVENTUREIRISMO GASPARISTA.

por Tomás Vasques, em 02.07.13

Vítor Gaspar abandonou o governo derrotado pela sua própria estratégia e levou Passos Coelho na água do banho, mesmo que o primeiro-ministro se mantenha em funções por mais algum tempo. Na carta de demissão, o ex-ministro das Finanças admite que o incumprimento das metas do défice orçamental “foi determinado por uma queda muito substancial da procura interna e por uma alteração na sua composição que provocaram uma forte quebra nas receitas tributárias. A repetição desses desvios minou a minha credibilidade enquanto ministro das Finanças”. Exactamente o que o país repetia diariamente há mais de um ano. As evidências estoiraram com a receita de Vítor Gaspar, benzida por Passos Coelho, o que – em tese – permite a Paulo Portas substituir, enquanto “ideólogo”, o ex-ministro das Finanças, com o apoio discreto de ministro do PSD, sobretudo Poiares Maduro e Santos Pereira, e meter dentro de um armário, fechada à chave, a nova ministra das Finanças. Assim, a parte do governo derrotada no conselho de ministros de Alcobaça poderia comandar esta nova fase do governo e dar-lhe um novo folego. Só que a reacção dos derrotados, Passos Coelho e Cavaco Silva, é imprevisível a partir de agora. Se o primeiro-ministro se deixar comandar, como até aqui, pelo número dois do governo e o presidente da República mantiver a mesma defesa da “estabilidade política”, este novo governo pode passar o cabo das eleições autárquicas e do próximo orçamento de Estado.    

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:19

Pág. 2/2




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.