Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Citações.

por Tomás Vasques, em 18.04.10

Francisco Louçã bem pode ensaiar permanentemente a pose de quem veio directamente do 5º anel de saturno para a política portuguesa – é lisboeta, cresceu lisboeta e fala com precisão. Percebe-se perfeitamente que, como se exige a qualquer político, é capaz de desenvolver em simultâneo dois ou mais raciocínios: o do que está a dizer, e o do cálculo das suas interpretações, pelo público e pelos pares. Louçã sabe perfeitamente o que sempre foi, para qualquer português e para qualquer lisboeta, dizer de alguém que é manso, ou que está manso, ou cada vez mais manso. Na Lisboa grunha, homem que não desse uma tareia à mulher se ela viesse gira à rua, era um corno manso. Aquele? É boi manso! Como li aqui, é como Ana Drago a qualificar o governo de Barroso como docemente submisso. Discursos a um milímetro da fronteira da provocação explícita, mas guardando o milímetro que permite recuar para a igreja das virgens ofendidas e politicamente correctas. O que isto tem de irritante é vir de quem pretende sempre arrastar a luta política para o campo da moral e da ética, mas não hesita em usar no discurso a arte da dissimulação. De quem anda sempre a querer legalizar e normalizar a diferença mas que, depois, usa o significado reaccionário que essa diferença tem no simbólico colectivo para provocar o adversário. Como aprendi na escola, chama-se a isto ser sonso. E o pior lugar para a sonsice é a política.

 

Mário Rui (Palâtre)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:23

O estado das coisas.

por Tomás Vasques, em 18.04.10

Hoje, a «dinâmica da ideologia individualista com as suas exigências de liberdade e igualdade» (Lipovetsky) tritura tudo a eito. Não há cargos, nem funções que mereçam o «devido respeito». Um Primeiro-Ministro ou um Papa merecem o mesmo tratamento que um qualquer violador das Telheiras, quando não pior. E ainda há, para adubar o caldo, os que tratam um primeiro-ministro abaixo de cão, enquanto exigem respeito a um Papa. E vice-versa. Nesta «dinâmica» não há meio-termo: ou há respeito ou vai tudo a eito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:15

A Natureza.

por Tomás Vasques, em 18.04.10

Num ápice, o Eyjafjallajokullm dominou a Europa, evidenciando que a organização humana é a parte mais fraca do planeta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:43



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.