Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Notícias por telex.

por Tomás Vasques, em 11.02.10

A edição do semanário Sol com destino a Angola, Moçambique e Cabo Verde já seguiu viagem sem os efeitos da providência cautelar, segundo noticiam os jornais on-line. Amanhã, os representantes dos órgãos de comunicação social portugueses naqueles países não vão ter mãos a medir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:42

O fruto proibido é o mais apetecido.

por Tomás Vasques, em 11.02.10

 

 

 

Todos os cidadãos, sem excepção, têm o direito de utilizar os meios judiciais ao seu dispor, incluído a providência cautelar, para acautelar e defender os seus direitos, incluindo o direito ao bom nome. Cabe aos tribunais decidir se os direitos invocados estão legalmente protegidos ou se não colidem com outros merecedores de maior protecção, como o direito de informação. Contudo, sou de opinião que uma providencial cautelar destinada a «impedir a publicação de…», independentemente da decisão judicial final sobre o pedido, provoca sempre o efeito contrário ao desejado. Sempre provocou, mas nos tempos que correm, numa sociedade hipermediatizada, a «publicação de…» é impossível de impedir e só amplia a sua divulgação.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:42

Citações.

por Tomás Vasques, em 11.02.10

Todos os governos tentam, de alguma forma, condicionar jornais e jornalistas. Nessa matéria, todos os partidos portugueses têm telhados de vidro e um historial que não abona a seu favor. Em primeiro lugar, essa tentação empobrece a democracia e o debate livre; depois, destrói a confiança dos cidadãos.

O poder tem custos que convém ter em conta; um deles é suportar a crítica da imprensa e a sua vigilância permanente e até injusta. Manda a decência que entre os dois mundos exista uma separação clara. O poder torna-se absoluto quando reconhece que não lhe basta o direito a comunicar através dos canais institucionais e pretende garantir um lugar ao sol na imprensa. O jogo da democracia torna-se desigual, mesmo se as intenções são generosas. E quase nunca são.

Francisco José Viegas, Correio da Manhã, 11.02.10

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:17

Nunca digas desta água não beberei.

por Tomás Vasques, em 11.02.10

Hoje, num hotel de Lisboa, o eurodeputado Paulo Rangel apresentou a sua candidatura à presidência do PSD. Mas esqueceu-se de um pormenor: anunciar, desde já, a renúncia ao Parlamento Europeu. Ou seja: se ganhar a presidência do PSD, abandona o Parlamento Europeu, se perder volta para Bruxelas. Colocou-se, voluntariamente, na posição das eurodeputadas socialistas Ana Gomes e Elisa Ferreira. Com duas agravantes: a primeira, a candidatura à liderança do maior partido da oposição é mais importante do que a candidatura a qualquer câmara do país; a segunda, Paulo Rangel disse o que todos sabemos sobre a situação das candidatas às Câmaras do Porto e Sintra. Será que Paulo Rangel se relaciona mal com a verdade, expressão muito em uso, ou vai apresentar a renúncia ao mandato europeu após a aprovação do Orçamento de Estado? Vamos ver.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:23



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.