Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



||| Vá para fora cá dentro.

por Tomás Vasques, em 03.06.09

Esta campanha demonstrou, mais uma vez, o elementar: os temas «europeus» não rendem votos. Nem mobilizam. Para a generalidade dos portugueses as «europeias» pouco lhes diz. Em todas as outras eleições escolhem alguém que, mal ou bem, lhes vai gerir o destino. Nas «europeias», essa escolha não é palpável. A nomenclatura da UE encarrega-se de tornar opacos os «assuntos europeus». O Tratado de Lisboa é o exemplo mais clamoroso. Nesta altura do ano, o tempo e os feriados convidam mais a banhos de sol do que a decidir quem vai passar uns anos em Bruxelas. Os candidatos à vitória não perderam tempo com a aridez dos temas «europeus». Sabem dos bocejos dos ouvintes. Por isso, concentraram-se nas tricas e picardias domésticas. Neste domínio, parece que Vital Moreira, mesmo insonso, está a levar a melhor. É mais fácil quebrar o desinteresse de uma alma lusa falhando-lhe da «roubalheira» do BPN do que nos encantos da «Europa». Paulo Rangel mordeu o isco e deixou de marcar a agenda. Passou à defensiva e procura a vitimação da «indignidade» do adversário. Estar na oposição e à defesa é a morte do player.

 

Hoje no i.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:11

||| A frase.

por Tomás Vasques, em 03.06.09

Os suportes físicos da leitura não se perdem nem se substituem: acumulam-se. Quanto mais se avança na tecnologia, mais se valorizam as maneiras tradicionais de fazer livros. O único perigo é não termos nada para ler – e esse perigo não existe.

 

Miguel Esteves Cardoso, Público, 3.06.09

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:56

||| Serviço Público.

por Tomás Vasques, em 02.06.09

O Pedro Correia tem lido e comentado, no Delito de Opinião, o programa de todos os partidos que concorrem as eleições europeias. É um verdadeiro serviço público, sobretudo sabendo que, entre nós, os programas partidários só quem os escreve os lê.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:04

||| Livros.

por Tomás Vasques, em 02.06.09

 

 

Amanhã, 3 de Junho, às 18h30, na Bertrand do Chiado, será apresentado o livro Portugal dos Pequeninos, de João Gonçalves. Como escreve no prefácio Medeiros Ferreira: o autor deixa nestas crónicas uma marca de água de autenticidade e desassombro. Para quem conhece o João Gonçalves e para quem lê o Portugal dos Pequeninos sabe que é verdade. E, o mais importante, é que o seu estilo «mata-mouros» e o seu espírito livre e sem teias de aranha são um bom contributo para pôr as algumas «coisas» no devido lugar. Voltarei ao livro depois da sua leitura.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:27

||| Processos revolucionários em curso.

por Tomás Vasques, em 02.06.09

Nas ditaduras comunistas a «firmeza ideológica» e a «linha revolucionária» transmitem-se apenas através dos laços de sangue. Em Cuba, Fidel Castro designou o seu irmão Raul como sucessor. Na Coreia do Norte, diz uma agência noticiosa sul coreana, o ditador Kim Jong-il, que tinha sucedido a seu pai, designou o seu filho mais novo, Kim Jong-un, com 26 anos, como sucessor. Estão todos a cair de podres.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:24

||| Por favor, deixem-nos escolher.

por Tomás Vasques, em 01.06.09

Alguns camaradas mostram-se agastados e descrentes na democracia porque a canção Sem eira nem beira, dos Xutos e Pontapés, não passa nas rádios. Se não me engano, foram muitos destes camaradas, uma espécie de democratas a meio-tempo, que mal viram um anúncio da Antena 1, em que se dizia que uma manifestação estava a decorrer contra quem quer chegar a horas ao trabalho, gritaram tão alto que o anúncio foi de imediato retirado de circulação. Não nos tomem por tontos, deixem-nos ouvir os Xutos e ver os anúncios que quisermos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:46

||| Notícias da campanha eleitoral [7].

por Tomás Vasques, em 01.06.09

«Ao subir ao palco, durante um comício do PSD no pavilhão municipal de Barcelos, Paulo Rangel observou: “É impressionante esta moldura humana.”

 Isto sim, é uma festa social-democrata, uma festa que não tem espelhos, que não tem efeitos especiais, ao contrário dos comícios do PS, onde se usam espelhos para duplicar as imagens”, acrescentou.


O comício do PSD começou com mais de uma hora de atraso, tempo durante o qual o pavilhão se foi enchendo, com a ajuda do “speaker”, que pedia à “malta jovem” para ocupar o ringue, que então se encontrava meio vazio.»

 

Público on-line, 31.05.09 às 03h16

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:36

Pág. 6/6




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.