Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



||| A memória das prisões.

por Tomás Vasques, em 21.10.08

 

A prisão de Carabanchel, em Madrid, mandada construir pelo ditador Francisco Franco, nos anos 40, começou hoje a ser demolida. Por lá passaram muitos presos políticos: comunistas, anarquistas, socialistas. Entre eles Marcelino Camacho, sindicalista e militante comunista. Vai dar lugar a um hospital, moradias, lojas e escritórios. A propósito, um dos melhores hotéis de Boston – The Liberty Hotel – foi construído aproveitando uma antiga prisão. Por cá, existe um projecto de uma Pousada para o Forte de Peniche. O próprio presidente da Câmara de Peniche, eleito pelo Partido Comunista, já declarou que o projecto é irreversível e contempla «um núcleo museológico dedicado à luta antifascista». Não é de admirar, daqui a uns anos, lá no Forte, o seguinte diálogo: empregado do bar: - sabe que esta era a sala onde se torturavam os presos? Cliente: - Verdade? Sirva-me outro uísque para me esquecer desses tempos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:24

||| Mais vale um populista na mão…

por Tomás Vasques, em 20.10.08

Vai para aí uma ladainha, sobretudo dentro do PSD, por causa da escolha de Santana Lopes para candidato à Câmara de Lisboa que até parece que o homem não é do PSD. Apenas, porque Manuela Ferreira Leite resolveu a tempo um problema, antes que o «problema» lhe caísse em cima: se convidasse as pessoas sugeridas por Pacheco Pereira ia de recusa em recusa, conforme declarações dos próprios (e como aconteceu a Marques Mendes), até que, enfraquecida, enquanto líder e enquanto oposição, agarrava o primeiro Negrão que passasse num corredor do Palácio de São Caetano à Lapa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:54

||| Livros.

por Tomás Vasques, em 18.10.08

 

Publicado em 1965, Obrigado pelo Lume, de Mario Benedetti (Uruguai, 1920) foi agora publicado em português pela Cavalo de Ferro Editores.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 00:36

||| O PCP, Chávez e a «revolução bolivariana»

por Tomás Vasques, em 17.10.08

O partido comunista da Venezuela está entre a espada e a parede: apoia a «revolução anti-imperialista» de Chávez, mas este classifica os comunistas como contra-revolucionários. Óscar Figuera, secretário-geral dos comunistas venezuelanos,  reagiu e «explicou que nenhuma revolução se pode considerar como tal se se revestir de traços anticomunistas» (Avante, 16.10.09). Ora, se Chávez quer acabar com o partido comunista da Venezuela (ameaçou fazer desaparecer o PCV do mapa político), logo não há «revolução anti-imperialista» na Venezuela. Não tarda muito, o PCP vai começar a chamar ao amigo de Fidel Castro um contra-revolucionário que confunde Lisboa com Havana... São as teias que as «frentes populares» tecem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:14

||| A frase.

por Tomás Vasques, em 17.10.08

«Pacheco Pereira faz essas declarações na sua qualidade de comentador para a qual é pago. Já nos habituou que, para continuar a ter valor de mercado, tem de dizer mal das pessoas»

 

Carlos Carreiras, presidente da distrital de Lisboa do PSD.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:06

||| A crise [4].

por Tomás Vasques, em 16.10.08

 

Como depois de um terramoto, a economia real reajusta-se às novidades financeiras: o petróleo hoje, em Nova Iorque, valia 71 dólares o barril; o cobre desceu 33%; o café, o milho, o cacau e outras matérias-primas descem para valores praticados há um ano atrás. Ainda vão descer mais, pelo menos na ressaca. A torneira do dinheiro bancário deixou de jorrar. Agora só corre pingo a pingo. Quem compra tem menos dinheiro; quem vende precisa de dinheiro. E o dinheiro tornou-se (ao contrário dos últimos anos) um produto escasso. O mercado vai inevitavelmente regular os preços. O Estado, esse, compete-lhe regular as distorções e as euforias do mercado. Mas o passado diz-nos que a economia real se vai ajustar num outro patamar até que, depois de consolidada e em crescimento, venha nova euforia. Talvez em meados da próxima década. Faz parte das regras do jogo. Porque raramente se colhem ensinamentos duradoiros para o futuro. É a vida!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 13:46

||| Treinador de sofá.

por Tomás Vasques, em 15.10.08

A história da selecção nacional de futebol divide-se em duas épocas: a época Scolari e todas as outras (talvez, a excepção do mundial de 66). Os últimos três jogos (com a Dinamarca, a Suécia e a Albânia) já são suficientes para marcar definitivamente este período das «outras épocas» – no caso, o período Queiroz. Um bando de incompetentes, desorganizados e mal dirigidos empata com a Albânia. Queiroz, antes deste jogo, devia ter lido O general do exército morto, de Ismael Kadaré e teria percebido a garra albanesa. Carlos Queiroz pode regressar a Manchester o mais rápido possível. Nesta altura, deixem-se de paninhos quentes e não estraguem os debates em curso sobre a crise e o orçamento de Estado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:44

||| Milan Kundera, enquanto militante comunista.

por Tomás Vasques, em 15.10.08

O DN de hoje, a partir de um trabalho de investigação da revista checa Respekt, informa que Milan Kundera, aos 21 anos, denunciou à polícia «os movimentos suspeitos» de um jovem da sua idade, o qual viria a passar 14 anos na prisão. A revista checa trata o assunto como se o escritor checo não fosse militante do partido comunista na data do acontecimento, em 1950. O documento da denúncia agora revelado é de 14 de Março de 1950. Kundera foi expulso do partido comunista ainda nesse ano (foi readmitido seis anos depois e só foi expulso de novo em 1970). E como militante comunista, a denúncia apontada é um acto normal que em nada mancha o seu contributo conta o «regime», e muito menos o seu talento como escritor. Anormal é Kundera negar factos documentados e não os enquadrar historicamente. A não ser que se trate de documentos forjados. Mas não parece.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:00

||| Mistérios.

por Tomás Vasques, em 14.10.08

Porque é que Paulo Portas, depois de transformar o CDS-PP num partido irrelevante, ainda insiste em disputar eleitorado ao PCP e ao BE?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:30

||| A crise [3].

por Tomás Vasques, em 14.10.08

À atenção de Vital Moreira: «Apesar da reacção positiva dos mercados nos dois últimos dias, não há razão para declarar o fim da crise financeira e passar a um estado de entusiasmo exagerado», disse Jean-Claude Juncker, primeiro-ministro e ministro das Finanças do Luxemburgo e presidente do Eurogrupo, que reúne os ministros das Finanças dos 15 países da zona Euro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:16

||| Manuela versus Santana.

por Tomás Vasques, em 14.10.08

Gosto de uma boa piada, mesmo quando é racista, machista e por aí fora. Manuela Ferreira Leite, hoje, na Comissão Política do PSD, logo de início, disse, em síntese: hoje, as eleições autárquicas não são para aqui chamadas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:01

||| Brigitte versus Sarah.

por Tomás Vasques, em 14.10.08

Gosto de uma boa piada, mesmo quando é racista, machista e por aí fora. A Cristina escreveu, em síntese: se a Brigitte Bardot se cruza com Sarah Palin só não lhe arranca a pele porque é contra essas coisas de esfolar animais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:40

||| A crise [2].

por Tomás Vasques, em 13.10.08

O muro de Berlim não caiu com o vento, nem a implosão das torres de Nova Iorque foi obra de furacão. Aos poucos, passo a passo, as peças ajustam-se, como nos puzzles.  Ou como diria um velho mestre electricista, sem positivo e negativo não existia corrente eléctrica. Por ora, os EUA e a Europa nacionalizam bancos, enquanto na China se permite, a partir deste mês, aos camponeses vender, arrendar ou hipotecar o uso da terra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 22:59

||| A crise.

por Tomás Vasques, em 13.10.08

O Eduardo Pitta e o Francisco José Viegas, cada um com a sua máquina fotográfica, tiraram o retrato à crise. À «nossa» crise. Não precisa de retoques.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 22:31

||| A frase.

por Tomás Vasques, em 09.10.08

«Esta crise, como todas elas – para quem as veja com a objectividade marxista-leninista – encerra lições.»

 

Editorial do Avante, 09.09.08.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:42




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.