Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



||| Ler os outros.

por Tomás Vasques, em 19.05.08

 

Subscrevo na íntegra as Cinco notas sobre as eleições americanas, de Pedro Correia (Corta-fitas).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:41

||| Hábitos culturais.

por Tomás Vasques, em 19.05.08

 

A empresa de estudos de mercado GfK divulgou, em Março, um estudo sobre os hábitos culturais dos portugueses. Grosso modo, temos: 96 por cento dos inquiridos diz que «ver televisão» é a sua primeira «actividade de entretenimento». «Ler livros», apesar de ser mencionado por 35% dos inquiridos, só 2% deram "ler livros" como a sua primeira resposta. Outras actividades muito frequentes nos hábitos dos inquiridos (diárias ou «pelo menos uma vez por semana») incluem «ir ao café ou esplanada» ou «ir a centros comerciais"». Um resumo do estudo está disponível aqui.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:21

 

 

Alguns apóstolos da relevância insurgem-se contra a cultura da irrelevância, dominante na comunicação social, sobretudo na televisão. Os detentores do saber relevante esquecem que a cultura da irrelevância é a cultura do «povo». Os telejornais abrem com um acidente de viação, de preferência com mortes em vez de abrirem com as «directas» no PSD ou uma declaração do primeiro-ministro? É porque as audiências baixam com as novidades políticas e sobem com as notícias do futebol por mais inúteis e fúteis que sejam. Porque o «povo» passa as tardes de domingo em centros comerciais e nos estádios de futebol. E gosta de ir de férias no Verão, de preferência para a praia, seja ao Algarve ou à Republica Dominicana. Seja a pronto de pagamento, seja a crédito. O «povo» (este povo) é o produto de oito século de história e, por muito que custe, quer ser feliz agora! Está cansado da «política» e de «debates» televisivos. Prefere, por agora, enquanto não tiver outra perpectiva do futuro, o «irrelevante». Um bom concerto vale por dez debates sobre o «tratado de Lisboa». Os protestos dos apóstolos da relevância não alteram em nada esta situação. E depois, há que ter em conta as experiências em que os apóstolos do saber – os mestres pensadores – se organizaram em vanguarda  das «massas alienadas» e, à força, começaram a decidir o que o «povo» devia ver, ouvir e sentir. Os telejornais passaram apenas a dar conta, do primeiro ao último minuto, das actividades dos homens de «vanguarda» e de «saber». Instaurou-se a tirania do «saber», do «sentido histórico». Não consta que o «povo», nessas experiências, tenha vivido mais feliz. Antes pelo contrário: derrubaram o muro de Berlim.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:09



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.