Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



||| Voltámos à rua?

por Tomás Vasques, em 04.03.08

O PS, tal como qualquer outro partido, tem todo o direito de realizar os comícios que quiser, quando quiser e onde quiser. O facto de ser o partido no governo, para o qual foi eleito por vontade da maioria absoluta dos portugueses que se pronunciaram sobre o assunto, não diminui esse direito. Isto é tão elementar que se estranha as vozes dos que, por demagogia ou má-fé, de forma aberta ou velada, comparam o comício marcado para o próximo dia 15 de Março com as «manifestações» de apoio ao governo marcelista. Vivemos em democracia, apesar de muito «boa» gente não entender isso. A questão é outra: o PS responder ao PCP – partido que vale 7% do eleitorado – e ás manifestações de rua, sobretudo dos professores, com a convocação de uma acção de rua - um comício. A realização do dito comício retira «margem de manobra» às contestações? Creio que não. Ou, talvez, antes pelo contrário. Para comemorar 3 anos de governação? Falsa questão, já que não o fez no primeiro e segundo ano. Como se escreve aqui (de onde retirei a foto), não estamos nos tempos da Fonte Luminosa, em que o PS saiu para a rua para derrotar a ameaça de uma ditadura comunista. No dia 15 de Março, ou o PS faz uma demonstração de rua que deixa o país de boca aberta, o que não creio ser possível, ou é o PS que fica de boca aberta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:01

||| Ler os outros.

por Tomás Vasques, em 04.03.08
Eduardo Graça, uma guerra suja: «as lideranças políticas da Venezuela e do Equador – admiradas por certa esquerda ocidental - mostram ao mundo a sua relação íntima com as FARC. Chavez pensa que descobriu o ovo de Colombo: vende as suas boas graças ao ocidente e, em troca, financia as FARC. Não sei qual o preço praticado por refém. Deve depender da importância, pessoal, social e política de cada um, para os compradores da sua liberdade. A França revelou que o nº 2 das FARC, morto no ataque do exército colombiano, era um seu interlocutor. Vive-se por ali um dos mais dramáticos episódios da história contemporânea com todos os ingredientes dos poderes podres: reféns, droga, petróleo e armas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:27

||| Democracia representativa.

por Tomás Vasques, em 04.03.08
Ainda há quem se queixe, em Portugal, da falta de democracia participativa. Nunca, desde 1976, «a rua» esteve tão activa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:01

||| Notas soltas.

por Tomás Vasques, em 04.03.08
Hugo Chávez está tentado a alcançar num conflito militar contra a Colômbia o que não conseguiu no referendo sobre a constituição.

Domingo há eleições em França. A primeira volta das municipais. Será o primeiro teste ao estilo e às políticas de Sarkozy. Os socialistas estão à espreita da primeira desforra.

Também no Domingo, os nossos vizinhos vão escolher entre os socialistas no poder há 4 anos e a direita representada pelo PP. Ontem, no último debate, Zapatero derrotou claramente Rajoy. Zapatero, durante o seu mandato, enfrentou quem teve que enfrentar, incluindo os sectores mais retrógrados da Igreja Católica. Apesar disso, continua à frente nas sondagens.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:52



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.