Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



||| Cuidado, vem aí o fascismo? (2).

por Tomás Vasques, em 14.01.08
«O herói antinazi»

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:53

||| Mais um ao pé da porta.

por Tomás Vasques, em 14.01.08
Aqui também pode fumar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:36

||| Trabalho de fundo.

por Tomás Vasques, em 14.01.08
Luís Paixão Martins referiu o texto de Francisco Veloso (O futuro de Portugal visto de NYC) hoje publicado no Público. E acrescenta de sua justiça e saber, com a qual só posso estar de acordo: «É que, por vezes, fica-se a achar que o trabalho de marketing é um fogacho de meia-dúzia de dias e não um projecto continuado e consistente que leva o seu tempo a colher frutos.»

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:16

||| A costa oeste da Europa vista de fora.

por Tomás Vasques, em 14.01.08

O futuro de Portugal visto de NYC, Francisco Veloso, Público,14.01.2008. Sublinhados meus.


«Quando o influente jornal New York Times publicou recentemente a sua cobiçada lista com os "Destinos a visitar em 2008", Lisboa surgia em número dois. (…) Este destaque dado pelo New York Times a Portugal é inaudito. De facto, se procurarmos referências ao país como destino de viagem neste jornal nos últimos anos, encontramos apenas 10 apontamentos entre 2002 e 2005, e nenhum em 2006!

Mas tudo mudou em 2007. No ano que terminou, encontramos dez referências na secção de viagens do diário, tantas quanto as que apareceram nos cinco anos anteriores. Este contraste é particularmente significativo se compararmos, mais uma vez, com as referências à vizinha e gigante turístico Espanha, que nos últimos anos tem mantido uma média de 30 por ano, incluindo 2007. O destaque é significativo se olharmos também para países mais pequenos como a Holanda, que tem tido seis a nove referências anuais e oito em 2007. (…)


O que realmente surpreende no conteúdo dos artigos é o facto de a tónica dominante ser um Portugal que não esquece as suas tradições, mas também que aposta no moderno, criativo e mesmo na vanguarda (…)

Ao lermos os títulos e analisarmos os conteúdos das várias notícias, reparamos que os elementos que povoam de forma sistemática os escritos são hotéis de charme, restaurantes modernos e criativos, áreas de exposição e galerias de arte moderna, bares de vanguarda e lojas que promovem lado a lado nomes reconhecidos do design internacional e novos artistas e designers nacionais, sejam eles de mobiliário ou moda. Vários factores poderiam explicar o repentino interesse do New York Times no nosso país. Primeiro, Portugal ocupou a presidência da União Europeia no segundo semestre de 2007. Este aspecto aumentou a atenção dos media internacionais sobre o país e deverá, pelo menos de forma indirecta, ter influenciado a ideia de Portugal como destino de férias. O segundo factor é a perda de valor do dólar face ao euro. Com os turistas americanos preocupados com o seu poder de compra quando viajam, a busca de locais menos dispendiosos aumenta. E, efectivamente, a notícia que sugere Lisboa com um dos destinos de referência para 2008 refere esse aspecto de forma explícita. No entanto, se estes factores ajudam a entender a maior visibilidade, não explicam a perspectiva dominante dos artigos, que apresentam Portugal como um destino com um crescente ambiente de charme, design e modernidade. De facto, precisamente devido a este ênfase, muitos dos hotéis, restaurantes ou lojas referidos nos artigos são extremamente luxuosos, e por isso com preços que ombreiam com qualquer outro destino em França ou Espanha. Assim, vale a pena acreditar que as notícias sugerem que estamos a dar os passos certos para mudar a imagem externa de Portugal no exterior.
Jornais como o New York Times são extremamente influentes. Em primeiro lugar, o jornal tem um impressionante número de leitores. É o jornal com a terceira maior tiragem impressa nos EUA e o mais visitado site de Internet, com mais de 13 milhões de visitantes únicos por mês. Mas é particularmente importante também porque é visto como uma referência incontornável por muitos, em particular o segmento com mais poder de compra e influência na sociedade americana e na comunidade internacional, os outros media internacionais, e ainda agências de viagens. Por isso, a nova atenção dada a Portugal e, em particular, a imagem que é transmitida são muito boas notícias para o país.
Num dos artigos de Novembro, Gisela Williams escrevia que o Douro era agora um destino a caminho do futuro, com um pé firmemente assente no seu rico passado. Esta caracterização, que sumariza bem a ideia destes recentes artigos publicados sobre Portugal no NYT, transmite a imagem de um país que vale a pena ambicionar, e para o qual dá gosto contribuir. É um bom prenúncio e um factor mobilizador para que nos possamos dedicar a afirmar esta visão de Portugal neste ano de 2008 que agora se inicia
(para ler na íntegra)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:29

||| A caminho de Alcochete.

por Tomás Vasques, em 14.01.08

Segundo o Rui Perdigão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:36



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.