Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os novos ditadores.

por Tomás Vasques, em 19.02.07

Volto a António de Oliveira Salazar, cuja memória não oferece qualquer perigo para a democracia e nada obsta a que seja devidamente enquadrado no plano histórico. Aliás, é esse o entendimento de Fernando Rosas, quando faz de académico, a propósito de Salazar, o homem e a sua obra (Entrevistas de António Ferro a Salazar, Parceria A. M. Pereira, 2003): “Já não pode ser um livro de propaganda. Transformou-se, com a erosão do tempo, numa fonte histórica. Provavelmente no “livro de História” que Salazar, ao iniciar a conversa com Ferro, em Setembro de 1938, previa que ele pudesse vir a ser”. Volto a Salazar porque, à míngua de uma extrema-direita digna desse nome, é a extrema-esquerda bloquista que assume parte da herança salazarista, apesar das raízes ideológicas e a intolerância congénita mergulharem no totalitarismo comunista. Há dias, a propósito de um programa de televisão, em que alguém fez a defesa de Oliveira Salazar, Daniel Oliveira, em tom censório, de lápis vermelho na mão, pediu que tal não se viesse a repetir: “A RTP é um canal público que deve defender os valores do Estado Democrático. Não é nem tem de ser neutral nesta matéria.” – Escreveu. Hoje, Joana Amaral Dias, no DN, sustentada no mesmo suporte ideológico, antes do Ministério Público proferir acusação e, sobretudo muito antes do julgamento a que qualquer cidadão tem direito num Estado de Direito Democrático, proferiu já a sentença, como nos tribunais plenários: “atolada no lodo da corrupção e das traficâncias, a maior autarquia é uma intriga de máfia medíocre.” A situação na Câmara de Lisboa tornou-se insustentável politicamente, como aqui já escrevi. Mas daí à arruaça de rua bloquista vai um abismo. E sobre Salvaterra de Magos? A Dra. não escreve? Pois… Digo: se, daqui a um ou dois anos, os Tribunais se decidirem pela inocências dos arguidos, é preciso cobrar a esta gente estas “condenações” sovietizadas; é preciso, então, puxar o autoclismo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:28

Revistas de cinema.

por Tomás Vasques, em 19.02.07
.


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:43

O deserto.

por Tomás Vasques, em 19.02.07
«Visto à distância, Júdice diz mais ou menos isto: não vale a pena estar no partido, uma vez que José Sócrates ocupou o espaço do PSD. Na verdade, o que o PS de Sócrates ocupou, e bem, não foi o espaço político do PSD mas sim o deserto que o PSD deixou criar à sua volta ou até no seu interior. Nada que não mereça.»
Francisco José Viegas, JN, 19.02.2007.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:38

Referendos.

por Tomás Vasques, em 19.02.07
A Andaluzia foi ontem a votos num referendo destinado a alterar o Estatuto Autonómico. A participação esteve pelas ruas da amargura: 36% de votantes. O SIM ganhou com 87,4 %, contra os 9,4% que votaram NÃO. Neste caso, a previsão da esmagadora vitória do SIM pode ter a ver com a elevada abstenção mas, de qualquer modo, não é só por cá que, nos referendos, a abstenção atinge números elevadíssimos. Até ao momento, ninguém teve o desplante de somar a abstenção aos votos do NÃO e reclamar a “ilegitimidade” dos resultados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:37

Até amanhã.

por Tomás Vasques, em 19.02.07

O impressionismo russo, sucede ao realismo socialista: Konstantin Lomykin (1924 -1993), 1980, Pastel on Board, 90cm x 70cm

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:12



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.