Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Tomás Vasques, em 11.01.07
Ler os outros e estar de acordo.
«Quanto aos partidários do "Sim", suponho que ganharão tudo em insistir em dois - e apenas dois - argumentos:1. A experiência demonstra que nenhuma das muitas iniciativas bem intencionadas até agora tentadas aqui e noutros países se revelou capaz de pôr cobro ao aborto clandestino, com as terríveis consequências que se conhecem para a saúde das mulheres que o praticam.2. Nestas condições, a única forma responsável de lidar com esse problema de saúde pública é a despenalização do aborto
«Porque sim», João Pinto e Castro (Blogo Existo).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:51

...

por Tomás Vasques, em 11.01.07
Até amanhã.
(Édouard Manet, 1863, "The Picnic".)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:38

...

por Tomás Vasques, em 11.01.07
Socialismo ou morte.
O slogan “socialismo ou morte” representou, nos seus primórdios, para os castristas, uma ideia mortífera para os partidários do “socialismo”: ou triunfavam ou morriam. Não havia terceira via. Nos dias que correm, o dito slogan, ontem repetido em Caracas por Hugo Chàvez, só pode ser entendido no sentido inverso: é um aviso mortífero para os opositores do Chavismo: ou se calam ou morrem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:35

...

por Tomás Vasques, em 11.01.07

(Re) leituras.

Diz-me quem leu toda (ou quase toda) a sua obra que João Ubaldo Ribeiro é um dos mais importantes escritores brasileiros contemporâneos. Eu acredito solenemente. Dizem os críticos que ele sintetiza o melhor de Graciliano Ramos e o melhor de Guimarães Rosa, o que é um elogio do tamanho do oceano. A sua obra literária estende-se pelo romance, conto, ensaio, crónica e a literatura infanto-juvenil. Li apenas os romances Sargento Getúlio, Miséria e grandeza do amor de Benedita e A casa dos Budas Ditosos. É pouco, eu sei. Mas é suficiente para gostar de ler João Ubaldo Ribeiro. E há momentos em que é necessário relê-lo. Sobretudo, pela desconstrução do tacanho puritanismo pequeno burguês, como em A casa dos Budas Ditosos, onde é frontal, luxuriante, provocador, irónico e belo. Para quem não o conhece, transcrevo um minúsculo naco:



«Nenhuma mulher gosta do pau mole; exceptuadas dimensões aberrantes e as outras variáveis sendo equivalentes, o pau maior e vistoso é preferido. Evidente que o principal, principalíssimo, é quem é o proprietário do pau. Mas aí, se é pequeno, a mulher apenas deixa para lá, embora preferisse que fosse maiorzinho; é mais satisfatório, por alguma, ou várias, razões. Esta é que é a realidade, o resto, repito é onda e pensamento voluntarista. E nenhuma mulher sadia tem nojo do esperma, outra coisa que precisa bem esclarecida. Eu li não sei onde que alguns muçulmanos consideram ofensa suprema a mulher cuspir fora o esperma derramado em sua boca por seu homem. Eu concordo, é uma selvajaria, um sinal de baixa extracção, falta de formação, de classe, de cultura, de sofisticação. Cuspir o esperma só é admissível ou quando se quiser insultar um homem ou quando se quiser pô-lo em seu lugar: você pode ser bom para eu me distrair chupando seu pau, mas não é bom suficiente para eu engolir sua seiva., me recuso a devorá-lo, não dou às suas células essa intimidade com as minhas. Eu sou maluca

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:02



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.