Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Tomás Vasques, em 20.12.06


Estou boquiaberto (Ou os papéis estão invertidos?).





Por via do Eduardo e de Miguel Abrantes cheguei às páginas e páginas do Correio da Manhã sobre as duas personalidades do momento: Maria José Morgado e Carolina Salgado. A primeira, denota uma ingenuidade imprópria da posição que ocupa e das responsabilidades que lhe estão atribuidas ao revelar, minuto a minuto a sua vida, desde a compra dos jornais, ao pequeno almoço, passando pela viagem de metro para o emprego; quanto à segundo revela uma inesperada inteligência e um apurado instinto "político", o qual se pode apreciar aqui: O CM pergunta-lhe: "– Felícia Cabrita, por exemplo, disse que você fala como uma miúda irresponsável." Carolina responde à letra: "– Apesar de ter assumido uma página menos boa da minha vida, também sei, e só quem de direito o saberá, que nunca nada por mim foi conseguido na posição horizontal. Mas prefiro lembrar e até plagiar, com uma pequena alteração, António Aleixo: “Sei que pareço uma donzela, mas há muitas que eu conheço que embora parecendo que não, são aquilo que eu pareço.” E por aqui me fico - Acrescentou. Em 2007, muita tinta vai correr sobre estas duas senhoras.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:47

...

por Tomás Vasques, em 20.12.06
Ter memória.
»Uma homenagem» (Passado/Presente)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:47

...

por Tomás Vasques, em 20.12.06
A ditadura da maioria
O Pedro Correia cita Mário Soares, quando este, então Presidente da República, em Novembro de1994, em entrevista ao DN, falou em “ditadura da maioria”, referindo-se à maioria do PSD, liderada por Cavaco Silva, na altura há nove anos como primeiro-ministro. Por analogia, o momento político actual – maioria absoluta do PS – deveria ser visto sobre o mesmo prisma. Mas, o Pedro não acrescentou a passagem seguinte na dita entrevista: "O eleitorado português terá pensado: vamos dar a maioria para que o Governo tenha condições de fazer tudo o que promete. De qualquer maneira, não corremos qualquer perigo maior. O Presidente estará sempre lá para equilibrar o barco, designadamente em matéria de democracia.” (Mário Soares Moderador e Árbitro, Lisboa, Editorial Notícias, 1995, página 51). Por ironia, hoje é Cavaco Silva que ocupa o cargo que Mário Soares ocupava quando falou de “ditadura da maioria”, ou seja, cabe agora a Cavaco “equilibrar o barco”. E parece que não se fez rogado na última entrevista televisiva.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:19



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.