Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Tomás Vasques, em 21.11.06
CONFIRA:
O Glória Fácil... deixou de ser um blogue colectivo...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:36

...

por Tomás Vasques, em 21.11.06
PRÍNCIPE REAL.


Torquato da Luz publicou hoje no seu OFÍCIO DIÁRIO um poema sobre um pintor (japonês, penso) que há muitos anos, quase todos os dias, pinta o PRÍNCIPE REAL e que assina m. nagashima. Um dia, há anos, adquiri-lhe um quadro do qual reproduzo um pormenor. Não tenho dúvidas: o "nosso" pintor ama mesmo Lisboa. Atrevo-me a dizer que, vindo de longe, ama mais esta cidade que muitos dos que por cá nasceram. Aqui deixo o poema do Torquato:
Nem ele sabe quantas vezes
já pintou estas casas, estas árvores,
estes canteiros e bancos de jardim,
as portas e janelas da Rua de Dom Pedro V,
o mais amado rei que Portugal teve.
Nem ele sabe quantas vezes
já saíu de cavalete e tela ao ombro
rumo ao Príncipe Real,
em busca de um novo traço, uma cor nova,
que, sob o sol, a chuva, o nevoeiro,
nos dêem outra imagem de Lisboa.
Mas sabe e mostra que esta é a cidade
que, vindo de longe, ele escolheu
e é sua porque a ama
como qualquer de nós.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:08

...

por Tomás Vasques, em 21.11.06
NOTAS SOLTAS:
1.
João Gonçalves chama a atenção – e bem – para o "programa especial de recuperação do dr. Barroso", o PERB.
2. José Pacheco Pereira mostra-se politicamente agastado com a comunicação social por não falar nos cremes e nos tratamentos de beleza de Ségolène Royal, quando – diz ele – falou nos cremes e nos tratamentos de beleza de Sílvio Berlusconi.
3. Carlos Manuel Castro (Tugir) denuncia a palhaçada que Andres Manuel Lopez Obrador, candidato de esquerda derrotado nas eleições presidenciais mexicanas, em 2 de Junho, anda a fazer há quatro meses, culminando hoje com a autoproclamação de "presidente legítimo".
4. Aos amigos Luis Novaes Tito (Tugir) e ao colectivo do Revisão da Matéria um abraço pela distinção.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:49

...

por Tomás Vasques, em 21.11.06
CITAÇÕES.


Extractos de A gazela que corre mais depressa que os elefantes, de Teresa de Sousa, hoje no Público:

1. (Ségolène Royal) Venceu contra o aparelho do seu partido. Praticamente sozinha. Contra Lionel Jospin, que saiu da reserva a que se remeteu depois da derrota de 2002, quando perdeu para Jean-Marie le Pen na primeira volta das presidenciais, apenas para tentar impedir a sua ascensão. Sem o apoio, sequer implícito, das figuras históricas do socialismo francês, de Michel Roccard a Jacques Delors. Contra o oportunismo impensável de Laurent Fabius, convertido à ala esquerda do PS, depois de ter sido em tempos a sua ala direita e de ter liderado a campanha do "não" à Constituição europeia. Contra o rigor tecnocrático de Dominique Strauss-Kahn. Contra Martine Aubry ou Jack Lang. Venceu contra a arrogância dos velhos senhores de Matignon ou de Bercy, que pensavam arrasá-la nos debates, puxando pelos galões da sua vasta e infinita sabedoria sobre Finanças e Negócios Estrangeiros. O que disse, afinal, Royal para vencer tão facilmente o aparelho do PS francês, arrebatar as primárias e conseguir manter-se persistentemente, teimosamente, à frente de qualquer sondagem?
2. Sabe-se que não teme encarar de frente as questões da segurança que hoje estão no centro da preocupação dos franceses. Que recomenda o serviço cívico obrigatório no exército para os jovens delinquentes. Que não teme falar de temas que são tabu para a esquerda, como a família ou a disciplina. Que diz ser um erro não prestar atenção ao que Tony Blair fez no Reino Unido, que muitas das suas reformas tiveram bons resultados, e que ele teve pelo menos a coragem de enfrentar os problemas novos e procurar para eles novas soluções. Que admitiu rever a lei das 35 horas, emblema da esquerda francesa, pela simples razão de que pode ter sido prejudicial para os mais fracos e apenas vantajosa para as empresas e para os mais qualificados. Que defendeu mais liberdade para os pais escolherem a escola onde querem matricular os seus filhos. Que diz e insiste que é preciso ouvir as pessoas e levar em conta as suas reais aspirações em vez de repetir slogans ou enunciar belos desígnios. Pode parecer muito pouco e, em boa medida, ainda não é suficiente para se saber o que Ségolène defende e pensa realmente. Mas são pequenas coisas que têm pelo menos o mérito de ir todas no mesmo sentido: quebrar o dogma, aceitar a mudança e encontrar soluções pragmáticas, não ideológicas, para resolver os problemas reais.
3. A gazela mostrou que pode correr muito mais do que os elefantes porque é diferente, porque é bonita, porque é mulher, porque ousa romper a teia de velhos lugares-comuns em que se enredou a elite política francesa e porque as sondagens indicam que pode ganhar. Mas é agora que o verdadeiro combate vai começar. Se a direita chiraquiana não conseguir torpedear a candidatura de Nicolas Sarkozy - coisa que ainda não é certa -, a bela dama de Poitou-Charentes que fascinou o PS terá de se confrontar com um adversário que também sabe o que quer. O seu discurso das pequenas coisas deixará de ser suficiente, bem como a forma como conseguiu iludir as grandes questões incómodas da economia, da Europa ou da globalização. Terá de fazer muito mais. Mas isso não impede que Ségolène Royal seja já hoje uma lufada de ar fresco no debate político em França.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:26

...

por Tomás Vasques, em 21.11.06
APOSTAS.
Ali para os lados do Bicho Carpinteiro há tantas apostas que até parece um casino.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:13

...

por Tomás Vasques, em 21.11.06
DESESPERO.
Marques Mendes, enquanto bebia um “chop” numa esplanada de Copacabana, num fim de tarde acalorado, perante a impossibilidade de solicitar a audição no Parlamento do Presidente da República sobre o conteúdo da entrevista concedida há dias a um canal de televisão, decidiu chamar ao Parlamento o Procurador Geral da República e o director da Polícia Judiciária para que o informem de que meios precisam para combater a corrupção. Depois de obter essa informação, Marques Mendes comunicará a José Sócrates como este deverá resolver o problema.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:50

...

por Tomás Vasques, em 21.11.06
SÍMBOLOS.


Sophia Loren, aos 72 anos, é a vedeta do calendário da Pirelli 2007, juntamente com Hilary Swank, Naomi Watts, Penélope Cruz e a novata francesa Lou Doillon, filha de Jane Birkin. É obra!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:04



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.