Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Tomás Vasques, em 13.10.06
CITAÇÕES: (Actualizado)

1. - «E valha a verdade, testemunhei os dois acontecimentos, havia mais gente na manifestação de apoio à política ultramarina no Verão de 64 do que ontem na manifestação a exigir a demissão do Primeiro-Ministro e do Ministro das Finanças (não, isso é o Alberto João!, a CGTP ainda está na fase da "a luta continua...", "o Governo para a rua" vem a caminho. Em muitos autocarros alugadosJosé Teles (Corta-fitas)
2. - «Que o jornal tenha andado dois anos (2003-4) a tentar decapitar o Partido Socialista, eis o que parece indiferente ao dr. Jorge Sampaio. O director é ele, ponto final. Bem vistas as coisas, não foi ele que se lixou. Foram os outrosEduardo Pitta (Da Literatura)
3. - «Sinto Vergonha. Nem a mais nobre causa universal me reconcilia com o facto do Dr. Jorge Sampaio ser, mesmo só por um dia, Director do “Correio da Manhã”. Desta forma o Dr. Jorge Sampaio dá credibilidade à linha editorial – de ontem, hoje e… amanhã – deste jornal. » Eduardo Graça (Absorto)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:19

...

por Tomás Vasques, em 13.10.06
Disparates.
O ministro da Economia, Manuel Pinho, anunciou hoje, em Aveiro, com pompa e circunstância: "A crise acabou". Não adiantou quando mas, com a ligeireza que o caracteriza, ao querer apresentar "trabalho", deu um forte argumento aos que, ontem, no Rossio se manifestaram contra a reforma na Administração Pública.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:13

...

por Tomás Vasques, em 13.10.06
CITAÇÕES.
«As reformas de Sócrates: Num país com 750.000 funcionários públicos, a verdadeira "revolução" não é "tecnológica" ou "científica", é a libertação da sociedade de um Estado que a sufoca e de que ela depende. Ora, nesta matéria, Sócrates não se atreveu até agora a tocar. E o adiamento, anunciado ontem, da "reforma" da administração central para o fim de 2007, a um ano de eleições, significa no fundo que, por convicção ou impotência, se resignou, ou prefere a velha mediocridade portuguesa Vasco Pulido Valente, Público 13.10.06.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:09

...

por Tomás Vasques, em 13.10.06
Visões pequeninas:


1. «Não é todos os dias que 80 a 100 mil pessoas chamam mentiroso ao primeiro-ministro de Portugal. José Sócrates bem pode afirmar que não vai mudar a agulha da política governamental, mas devia reflectir seriamente sobre a actual contestação popular.»
2. 80 000.
Se José Sócrates seguisse o conselho de certos entendidos em política nacional, o PS ficaria ao nível eleitoral do Bloco de Esquerda, mas muito mais grave do que isso, afundaria o que resta deste triste país. Eu, como cidadão, exijo reformas na Administração Pública que emagreçam o aparelho de Estado: só quero, no fundo, que todos os portugueses tenham os mesmo direitos e os mesmos deveres. Não aceito que uns tenham tenham ADSE e outos Caixa de Previdência; que uns tenham regimes especiais e outros regimes gerais; que uns sejam promovidos automáticamente e outros só o possam ser por mérito. Para abreviar razões, quero um Portugal própero e solidário e sei que nos países que os arautos da desgraça me apontam como modelo só há miséria, repressão e prisões por delito de opinião. Fazem-me sempre lembrar o pequeno diálogo entre Olof Palme e Otelo Saraiva de Carvalho, em 1975: Perguntava Olof a Otelo: quais são os objectivos da revolução? Otelo, sem pensar, como era seu hábito, tinha a resposta na ponta da língua: acabar com os ricos. Olof, sem querer ofender, porque era um homem de vistas largas, com voz quase sumida, respondeu: nós na Suécia lutamos há décadas para acabar com os pobres.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:31

...

por Tomás Vasques, em 13.10.06
Complicado?
Hoje, ao fim do dia, Fernando Henrique Cardoso, apoiante de Geraldo Alckmin, o adversário de Lula da Silva, apresentou o seu livro: "A Arte da Politica – a historia que vivi”, na Fundação Mário Soares. O mesmo Mário Soares que disse hoje que mantém uma boa opinião de Lula da Silva, considerando que este enfrentou problemas, mas "foi um bom presidente" do Brasil. O mesmo Fernando Henrique Cardoso que, também hoje, em entrevista ao DN, comparou Lula da Silva a George W. Bush. Complicado? Não. É a democracia!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:24



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.