Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por Tomás Vasques, em 09.09.06
A miopia dos engajamentos.
«Carta certa para destino errado

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:10

...

por Tomás Vasques, em 09.09.06

...

por Tomás Vasques, em 09.09.06
Sínteses.
Eu sou daqueles que gosta de dizer tudo no título do post. O texto é só para complementar. Mas, às vezes, não dá.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:44

...

por Tomás Vasques, em 09.09.06
Democracia, intelectuais e América Latina.


A primeira vez que estive em Caracas, em 1993, estava Hugo Chávez preso, na sequência da tentativa de golpe militar de 4-F de 1992. Andrés Peréz, ainda Presidente da República (tive o grato prazer de conhecer pessoalmente, pese embora as acusações de corrupção que naquela data era alvo) estava à beira da destituição. Passei por Caracas, de novo, em 1994. Já tinha, então, sido eleito Presidente da República Rafael Caldera que, pouco depois de tomar posse, amnistiou Hugo Chávez. Nessa altura, quer em 93, quer em 94, a vida política venezuelana fervilhava em intensas discussões sobre corrupção e o golpismo. Nos jornais, nos cafés, nas ruas. De todos os livros que comprei para entender melhor o que estava em causa, destaco um livro de Aníbal Romero, intitulado Decadência y crisis de la democracia. Não resisto a transcrever uma breve passagem (traduzida por mim), mesmo sabendo que me alongo:

«Disse Mário Vargas Llosa que "sobre os latino-americanos pesa, como uma lápide uma velha tradição que o leva a esperar tudo de uma pessoa, instituição ou mito, poderoso e superior, perante o qual abdica da sua responsabilidade civil”. Desta espécie de malefício, lamentavelmente, nem sequer escapam os nossos intelectuais, que com reiterada frequência sucumbem face ao autoritarismo revestido de salvacionismo e se metem de cócoras perante os “homens fortes”, estilo Fidel Castro e – salvando-se as necessárias distâncias – Hugo Chávez. (…)
O posicionamento destes intelectuais, entre os quais se contam alguns dos mais prestigiados do nosso país, foi tão simplista como nocivo: partiram do princípio que o golpe de 92 foi feito contra um governante corrupto e, por isso, os levantamentos militares se justificavam. Em consequência, os responsáveis por esse golpe que ocasionaram destruição e morte e que romperam abertamente com o ordenamento constitucional do país, devem ser perdoados já que, longe de serem condenadas as suas acções, são dignas de elogio – os golpistas são “heróis” da democracia
”.
(Aníbal Romero, Decadência y crisis de la democracia, 1994).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:59

...

por Tomás Vasques, em 09.09.06
Enquanto Bob Dylan cantar eu sou jovem.



(Ouvir e ver: Modern Time, Bob Dylan).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:33

...

por Tomás Vasques, em 09.09.06
Foto do dia.



(Luis Bozzo, Playa El Quisco).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:15

...

por Tomás Vasques, em 09.09.06
Unidos nas Trevas.
(Máscara de mármore branco, feita na Mesopotâmia há 5 mil anos por um artista de Uruc .)

1. Claro que a ilusão de Bush excedeu o concebível. Imaginar que o Iraque (um resíduo heterogéneo do Império Britânico) lhe agradecia em grosso a queda de Saddam; imaginar que faria uma nação de uma sociedade tribal e muçulmana, étnica e religiosamente dividida; ou que o Irão ficava imperturbável perante o espectáculo - não ocorreria, na verdade, ao pior idiota. Infelizmente, a idiotia, apanhada pelo fracasso, foge com facilidade para a ficção. O Iraque "americano", cinco anos depois, não passa de uma ficção: com um governo fictício, uma assembleia fictícia e um exército fictício. Cá em baixo, na terra, há uma guerra civil que Bush se recusa a chamar pelo nome, como se recusar o nome abolisse a coisa. Que dizer? Que o poder não garante inteligência? Verdade. Não garante.
(Vasco Pulido Valente, Uma discussão, Público 09-09-06)
2. É esse olhar, no contexto dos nossos medos mais recentes, que se acende lentamente entre anónimos, acentuando a noção de um pesadelo incontrolável. Bush, Blair, Karzai, Olmert, Ahmadinejad, Musharraf, pairam como fantasmas acima deste magma humano que se entrechoca e cuja lava é o sangue de gente sem nome, até que a morte no-lo revele. É uma guerra de anónimos, unidos por uma vaga de ódios, ressentimentos e dores irreparáveis que lhes fixaram o destino. Mas, provavelmente, será entre eles que devemos procurar alguma luz, a chave de uma paz possível, que redima por uma vez este tempo de trevas que ainda atravessamos.
(Nuno Pacheco, Unidos nas trevas, Público 09-09-06)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:14

...

por Tomás Vasques, em 09.09.06
Até amanhã.


(Eider Astrain, Cansancio, Óleo y carboncillo sobre lienzo)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:41

...

por Tomás Vasques, em 09.09.06
Nudez
Não há dois olhares iguais sobre uma mulher nua, não há duas nudezes exactas, como não existe a mesma ave a caçar.
Cabrera Infante, Havana para um infante defunto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:03



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.