Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


||| Eu gosto de viver em democracia.

por Tomás Vasques, em 02.03.09

||| Albergue espanhol?

por Tomás Vasques, em 22.02.09

Antigamente convidava-se para os congressos partidários os partidos e personalidades estrangeiras com afinidade ideológicas. Hoje, parece, os convites correm ao sabor das oportunidades. Eu sei que, por exemplo, o BE gostaria de ter a presença de Hugo Chávez no seu congresso na esperança de que os coelhos se reproduzissem muito mais. Mas Chávez não se deu a essa incómodo. Também sei que no PS há quem pense que a presença de Hugo Chávez no congresso dos socialistas é um «trunfo» contra o crescimento eleitoral do BE. Por isso, convidaram-no. É um erro. Um erro crasso. O Governo português pode e deve ter as melhores relações com o Governo venezuelano e com o seu presidente. Seja por causa do petróleo, do Magalhães ou da comunidade portuguesa naquelas paragens. O PS ao convidar Hugo Chavéz vai, em primeiro lugar, transformar o congresso numa feira; em segundo lugar, confundir os porugueses sobre o que é que o PS quer para Portugal. É que Chávez não é o modesto quadro intermédio do Partido Comunista Chinês que, despercebido, esteve presente no último congresso do PS. Chávez é um espalhafatoso militar golpista, presidente da Venezuela, que vê em Cuba o modelo de «socialismo» para toda a América Latina. A ser verdade que Chávez foi convidado para assistir ao congresso do PS, desde o aeroporto até ao aeroporto, o congresso do PS vai ser o congresso de Hugo Chávez.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:22

||| A emenda é pior que o soneto.

por Tomás Vasques, em 09.10.08

 

As posições do grupo parlamentar do PS, quanto à proposta do BE e do PCP-PEV sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, é o exemplo mais ilustrativo que conheço da expressão «meter os pés pelas mãos». Começou com a disciplina de voto (quando o «embaraço» de agenda se resolvia à nascença exactamente pela liberdade de voto), obrigando os deputados a votar contra uma proposta sobre a qual, finda a votação, o grupo parlamentar vai apresentar uma declaração de voto a favor do «conteúdo programático» da proposta rejeitada. Não é possível contentar deus e o diabo: fica-se mal com os dois. É elementar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:08

||| Debates. Crise financeira.

por Tomás Vasques, em 08.10.08

Não vi (nem ouvi) nada sobre o debate de hoje, na Assembleia da República, sobre a «crise financeira». Mas o João Villalobos deu-me a notícia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:21

||| A frase.

por Tomás Vasques, em 25.09.08

Com a proposta de revisão do Código do Trabalho, o PS «assume uma posição destacada na galeria dos retrógados e reaccionários de todas as épocas».

In Avante, 25.09.08.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:38

 

 

 

O PCP, todos sabemos, regressou aos «clássicos», o que corresponde a dizer que, depois de dois momentos «defensivos» – o que se seguiu ao 25 de Novembro de 1975 e, depois, à Perestroika e à queda do muro de Berlim – voltou à ditadura do proletariado. A sua posição contra o Código do Trabalho, em discussão na Assembleia da República, é coerente: eles não querem aperfeiçoar o capitalismo; querem a sua destruição e, sobre as suas cinzas, erguer uma «sociedade nova», onde um código do trabalho não faz sentido porque quem trabalha é a classe dominante e só os «reaccionários» e os «agentes do imperialismo» falam sobre os direitos dos trabalhadores. O Bloco de Esquerda não sabe bem o que quer: se aperfeiçoar o capitalismo, se o destruir; se deve participar em «governos burgueses» ou não. A pequena burguesia urbana é assim: hesitante. É, ideologicamente falando, um caldo entre «guevarismo» «chavismo», «trotskismo» e outras coisas no género. Não sabe para onde quer ir. Entretanto, o «instinto de sobrevivência» diz-lhe que o melhor é estar contra tudo o que facilite a sobrevivência do capitalismo. Também é, no fundo, uma posição coerente. O PSD (o CDS não conta para nada) não vota a favor, nem contra a proposta do PS de revisão do Código do Trabalho. É uma posição incoerente, semelhante à posição do PS sobre esta matéria há 5 anos. Contudo, a posição do PSD ajuda o PS: a presente proposta de Código do Trabalho não está feito à medida da «direita»; e tanto assim é que o PSD (e o CDS, também) não a vota favoravelmente. Este não é um argumento formal; é substancial. Se não é um argumento substancial, o PSD está de rastos e a pesca em águas turvas vai, mais cedo ou mais tarde, reduzi-lo à expressão eleitoral do PCP e do BE.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:22

||| Corrupção.

por Tomás Vasques, em 27.07.08

João Cravinho não é tido por um leviano, apesar de ter trocado o cargo de deputado (onde podia travar a batalha contra a corrupção) por um lugar na direcção do Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento. Hoje, numa entrevista ao Público e Rádio Renascença, Cravinho informou-nos que a «grande corrupção» está a aumentar. Espero que tenha dados concretos que sustentem as suas declarações e que os comunique ao Ministério Público. Se são só palpites, intuições ou por «ouvir dizer» retira-lhe credibilidade. Há outras maneiras de se manter «vivo» politicamente.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:21

||| Previsões.

por Tomás Vasques, em 26.07.08

«A previsão mais fácil de fazer» – escreve o Pedro Correia. Estou de acordo. Mas, afinal, a quem é que o Zé faz falta?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:28

||| Diferenças [2]

por Tomás Vasques, em 12.07.08

 

 

Manuel Alegre e a «Corrente de Opinião Socialista em Lisboa» lançam dia 14, segunda-feira, no Hotel Altis, às 18h30, a ops! – Revista de Opinião Socialista–, com o primeiro número dedicado ao tema Trabalho e Sindicalismo.

PS: Desolez nous n’avons pas les mêmes valeurs é uma frase estampada numa t-shirt, verde azeitona, já debotada, que comprei, em Paris, há quase vinte anos, e que sempre me acompanhou nas minhas viagens a Cuba. Mas luto para que todas as vozes se oiçam!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:18

||| A ponte é uma passagem para a outra margem.

por Tomás Vasques, em 07.06.08

Na mesma semana em que o deputado socialista Manuel Alegre animou uma festa-comício do Bloco de Esquerda, no Teatro da Trindade, o Expresso dá conta da participação de Sá Fernandes, vereador eleito pelo Bloco de Esquerda, em Lisboa, numa reunião da Concelhia do PS, no Largo do Rato, convocada por Miguel Coelho. A distância entre o Teatro da Trindade e o Largo do Rato é mais difícil de percorrer porque é sempre a subir; do Largo do Rato até à Trindade é mais fácil porque é sempre a descer.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 09:45

||| Parafraseando.

por Tomás Vasques, em 06.06.08

Qualquer governo do PS é como um lençol curto: quando se cobre o nariz, os pés ficam frios; quando se cobrem os pés, o nariz fica gelado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 23:23



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.



Contador

eXTReMe Tracker