Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


||| O grande arquitecto do universo.

por Tomás Vasques, em 25.03.09

 

 

Salazar o maçon, de Costa Pimenta (Bertrand Editora).

 

   

A minha prima Hermenegilda nunca se iniciou na maçonaria, nem lhe passa pela cabeça o que é o Rito Escocês Antigo e Aceite ou a Prática das Ordens de Sabedoria do Rito Francês, porque nunca a convidaram. Ainda hoje, é uma frustração que carrega às costas, como uma cruz. O seu deslumbramento por sociedades secretas, mitos e rituais, Templários e Rosacruz nasceu, em finais dos anos setenta, do esotérico vazio em que se afundou quando trocou de marido e este lhe exigiu que saísse do MRPP. Queria, então, trocar a verdade absoluta do marxismo-leninismo por qualquer coisa que, nos tempos livres, lhe alimentasse a alma e as convicções. Ainda me bateu à porta, nos anos oitenta, convencida que eu podia «encontrar a pessoa certa» que lhe facilitasse a entrada na maçonaria. Na altura, com ar sério para não denunciar o engano (a Maria Helena Carvalho dos Santos que me perdoe), respondi-lhe que não permitiam a iniciação maçónica a quem tivesse frequentado a catequese, feito a primeira comunhão e casado na Igreja. (O que era o caso da Hermenegilda, com a agravante de ter entrada na Igreja da Memória, ali onde o D. José I apanhou um tiro no braço, vestida de branco e transportando, com ar cândido, um ramo de laranjeira, como se de uma virgem se tratasse, quando já dormia com o rapaz há quase dois anos). Fixou-me, com o seu olhar de carneiro mal morto, e esboçou uns ligeiros impropérios contra a Igreja, o Papa e os padres, à laia de justificação, mas não lhe facilitei a conversa. E, agora, no sábado passado, quando eu estava no estádio do Algarve a aguardar a marcação das grandes penalidades, na final daquela taça que não lembra a ninguém, entre o Benfica e o Sporting, a Hermenegilda me telefona, como é seu hábito nestas ocasiões. Hesitei: atendo ou não atendo o telefone. Mas não resisti à curiosidade, e atendi. Sem intróitos,  nem boas-noites, despejou o saco: - «Com que então o Salazar também era da maçonaria». Respirei fundo, enquanto Ramagnoli ajeitava a bola, e perguntei: - «Só descobriste agora?» Respondeu-me de imediato: - «Não te armes em sonso». Tiago defendeu o remate de Aimar, enquanto eu respondia: - «Hermenegilda, pensa: porque é que o Carmona só largou a presidência da República quando morreu? E o Sarmento Rodrigues, ministro do Ultramar; e o Santos Júnior, ministro do Interior, e o Palma Carlos, procurador à Câmara Cooperativa? Achas que Salazar não sabia que todos eles eram pedreiros-livres?». Rochemback imitou Aimar, permitindo a defesa de Quim. Hermenegilda ficou em silêncio uns segundos. Depois, interrogou-me: «Mas tu achas mesmo que Salazar foi maçon?». Pela pergunta, percebi que estava desorientada. Respondi no momento em que Moutinho metia a bola na baliza: - «Claro que sim. Foi maçon, putanheiro e tudo, e só não foi um grande democrata porque os tempos não estavam de feição». Desligou sem uma palavra de despedida. Quase não vi o Quim defender os remates de Derlei e de Postiga. Fiquei meio aparvalhado a tentar perceber porque carga de água até a minha prima Hermenegilda, mulher culta e arejada,  acredita que António de Oliveira Salazar era maçon.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:10



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.



Contador

eXTReMe Tracker