Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



||| Sonhos bolivarianos à moda de Caracas.

por Tomás Vasques, em 26.01.08



A maioria absoluta do PS e a governação de José Sócrates deixaram um espaço de crescimento eleitoral à «esquerda». Estando o PCP completamente enferrujado, o Bloco (apesar de ser feito do mesmo material do PCP tem feito um zeloso trabalho para esconder a ferrugem) seria o natural beneficiado. Isso é tão evidente que até Louçã, em tempos, se entusiasmou. («A estratégia do BE é destruir o actual mapa político português para polarizar um campo novo que lute pelo socialismo (…) Podemos e queremos ter a maioria. As grandes ideias da política socialista que defendemos concretizam-se em programas de governo. Quando tivermos a responsabilidade de uma maioria de mudança estaremos prontos a assumi-la por inteiro.» - em entrevista ao DN). Mas a Alegre e Roseta andam a estragar os sonhos de crescimento do Bloco. Nas presidenciais, Louça atirou-se para a frente «convocando» o «povo de esquerda» a votar nele. Mas o desastre bateu-lhe à porta. Manuel Alegre ocupou o espaço de crescimento do Bloco. Nas intercalares de Lisboa, o Zé apareceu desarvorado para o sucesso eleitoral. Aqui, foi Helena Roseta que lhe saiu ao caminho. Para o ano temos eleições europeias, autárquicas e legislativas. Será o ano de todos os balanços: à governação de José Sócrates; à trajectória oposicionista do PSD; à estratégia de «luta» do PCP; aos sonhos de «maioria» do Bloco; e ao grupo de amigos de Paulo Portas. Mas, atenção, que ninguém cala a voz de Manuel Alegre. E Helena Roseta não abandonou o PS para se reformar da política. Hoje, o DN dá conta que Manuel Alegre está a ser pressionado para fundar novo partido. O descontentamento e o desencanto, por um lado, o populismo e a demagogia, por outro, podem produzir resultados catastróficos. O objectivo primeiro destas movimentações é retirar a maioria absoluta ao PS; o objectivo segundo, é formar, finalmente, um governo de «maioria de esquerda»: PS (sem Sócrates), MIC de Alegre-Roseta, Bloco e PCP. Os sonhos do «socialismo do século XXI», aquela coisa ideologicamente estranha inventada por Hugo Chávez, e soprada ao ouvido deste por Fidel Castro, atravessaria o Atlântico e chegaria finalmente a Portugal. O sonho da revolução bolivariana em Portugal poder-se-ia, então, concretizar - pensam os «estrategas» da extrema-esquerda. No entanto, há aqui um problema de calendário eleitoral. As eleições autárquicas realizam-se antes das legislativas. E será nas autárquicas que os eleitores de Lisboa vão dar opinião sobre o que pensam da coligação PS-Bloco. Os resultados em Lisboa vão, certamente, influenciar os arranjos partidários para as legislativas. De qualquer modo, «isto» vai aquecer...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:10




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.



Contador

eXTReMe Tracker