Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Há tango ou não há tango?

por Tomás Vasques, em 20.10.10

 

Hoje, em conferência de imprensa, Pedro Passos Coelho mostrou disponibilidade para voltar a dançar o tango com o governo. O ministro Silva Pereira, em nome do governo, «fez olhinhos», mas ficou por resolver quem é que se levanta e dirige o convite para iniciar a dança.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:17

Manuela Moura Guedes volta ao ataque.

por Tomás Vasques, em 20.10.10

 

 

Manuela Moura Guedes rescindiu o contrato com a TVI. Ao que dizem, trocou a sua luta pela liberdade de expressão por trezentos mil euros, depois de ter iniciado as negociações a exigir um milhão de euros. E, com a conta bancária já recheada, ainda escreveu na sua página do facebook: «Faço parte, a partir de hoje, do imenso grupo de desempregados deste país!» Qualquer desempregado, qualquer trabalhador mal pago e sem liberdade de expressão dirá: foda-se!

 

 

Adenda: Il prezzo.

«TVI teria de pagar à jornalista cerca de 300 mil euros pelos 11 anos de casa, mas a pivô deverá ter recebido quase o dobro.»

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:41

Duas pretensões, três recusas e um casamento.

por Tomás Vasques, em 20.10.10

Ontem à noite, o Conselho Nacional do PSD aprovou as condições de Pedro Passos Coelho para «deixar passar» o Orçamento. O líder do PSD, segundo revelam os jornais, pretende que o governo lhe explique, bem explicado, onde falhou a execução do Orçamento de 2010 e do Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC), acordado entre o Governo e o PSD em Maio; e pretende, ainda, a suspensão de todas as grandes obras públicas. Recusa a subida de dois ponto percentuais do IVA, mas aceita a subida de um ponto; recusa também que o corte proposto pelo governo nas deduções fiscais na saúde, educação e habitação; e recusa, ainda, algumas mexidas nas tabelas do IVA. Caso o Governo aceite estas propostas, tudo indica que o PSD se compromete em deixar passar o Orçamento. Desde Agosto, no Pontal, onde afirmou preto no branco, que o PSD não deixava passar um Orçamento que implicasse aumento de impostos, Pedro Passos Coelho já disse tudo e o seu contrário sobre o tema, tal como aconteceu com as várias propostas de revisão constitucional que foi anunciando antes da versão final. É este ziguezaguear permanente que lhe retira credibilidade enquanto alternativa a José Sócrates. Ninguém está disposto a mudar para pior. Nesta altura do campeonato, com as medidas do PEC 1, do PEC 2 e as propostas de Orçamento, qualquer líder da oposição com um mínimo de credibilidade e que sistematicamente apresentasse aos portugueses um caminho diferente para percorrer – um caminho melhor, obviamente –, esmagava o governo PS nas intenções de voto. Não é isso que acontece.

 

 

(Publicado no Aparelho de Estado)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:03

Leio declarações de António Martins, presidente Associação Sindical dos Juízes, e Ana Avoila, coordenadora dos Sindicatos da Função Pública, como se fossem operários da construção civil. Estonteado corro para a estante para reler o relatório de Karl Marx, apresentado em 1865, na Associação Internacional dos Trabalhadores, intitulado Salário, Preço e Lucro. Como Marx se ia divertir se os ouvisse. E lhes explicaria que eles vivem dos excedentes gerados pela produção.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:07

Eleições em Janeiro?

por Tomás Vasques, em 19.10.10

 

O Diário Económico titula em primeira página «Pedro Passos Coelho quer antecipar eleições». A tese é simples: o líder do PSD vai pedir ao Conselho nacional luz verde para negociar o Orçamento com o PS. Caso não haja acordo, quer eleições antecipadas para o início de 2011. Só que este seu querer passa por uma revisão constitucional. Quando e com quem obtém o PSD os dois terços dos deputados? Nada é dito. Provavelmente, esta tese não passa pela cabeça de Passos Coelho, mas estas notícias vão colando ao líder social-democrata, sobretudo depois das trapalhadas da proposta de revisão constitucional, a imagem de inconsequente e de nunca saber bem o que quer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:45

O Orçamento do nosso descontentamento.

por Tomás Vasques, em 19.10.10

O Orçamento do Estado que vai ser votado, a 29 de Outubro, no Parlamento, é mau. Todos os portugueses sabem isso, porque todos (ou quase todos) vão sofrer as consequências. Vai provocar uma significativa contracção do consumo e do investimento e provocar recessão? É natural; podia ser mais contido na procura de receitas e mais ousado na diminuição da despesa? É provável; tem incongruências, como a aplicação da taxa do IVA a 23% ao leite com chocolate e a taxa de 13% ao vinho? É evidente; vai provocar protestos sociais, nomeadamente nos segmentos mais protegidos e com maior capacidade sindical, como os juízes e os funcionários públicos? É inevitável; é possível reduzir o deficit orçamental para 4,6 %, em 2011, de maneira substancialmente diferente? Duvido.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:14

Alegre anda a arrastar a asa à metáfora.

por Tomás Vasques, em 14.10.10

O candidato presidencial do Bloco de Esquerda com apoio do PS, Manuel Alegre, disse uma patetice qualquer sobre o Presidente da República, Cavaco Silva. Alguém lhe deve ter explicado que era mesmo uma patetice. Hoje, o seu director de campanha veio «esclarecer» que o que o poeta disse não era bem o que queria dizer. Era uma metáfora. A campanha de Alegre vai ser assim: uma metáfora até ao fim. Falta-lhe o como.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:30

O milagre orçamental.

por Tomás Vasques, em 13.10.10

 

 

Passos Coelho deve, por estes dias, deleitar-se com o facto de se fazer passar por Nossa Senhora de Fátima. Está a esticar a corda até ao limite. Os 3 pastorinhos – Eanes, Soares e Sampaio – já lhe pediram o milagre. De resto, os peregrinos acotovelam-se, uns atrás dos outros, a pedir mesinhas orçamentais: Durão Barroso, Francisco Pinto Balsemão, Marcelo Rebelo de Sousa, Manuela Ferreira Leite, Vasco Pulido Valente, Pacheco Pereira, Miguel Sousa Tavares, Pedro Santana Lopes, Medina Carreira, Marques Mendes e por aí fora. Hoje, foi a vez dos banqueiros. Até Pina Moura lá foi bater à porta. Não sei o que se vai passar depois da aprovação do OE, mas tudo isto tem ar de lhe estarem a preparar o velório. Político, obviamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:32

Foge, foge que é uma SCUT.

por Tomás Vasques, em 13.10.10

As isenções e o pagamento das SCUTS são das maiores obras de «engenharia» que Portugal produziu desde a barragem de Cabora Bassa. O último prego neste caixão foi anunciado pelo Ministério das Obras Públicas: «os veículos com matrícula estrangeira estão obrigados à utilização de um dispositivo electrónico». Os nossos hermanos, quando aqui entrarem para comprar um galo de Barcelos, ou qualquer estrangeiro que nos visita, nem vão acreditar no que lhes vai acontecer. Primeiro vão ter de estudar, antes de entrar em Portugal, o que são SCUTS e o que são auto-estradas. E, logo aí, vão começar a rir à gargalhada quando descobrirem que, para os portugueses, as SCUTS são auto-estradas, mas as auto-estradas não são SCUTS. Depois, assim que passarem a fronteira, começa a grande odisseia: como adquirir o «dispositivo electrónico» pré-pago; que quantia deixar em «depósito» e outras interrogações próprias de qualquer viajante. Finalmente, à saída, dirá o marido: estes portugueses são complicados. Ao que a mulher responderá: o melhor é não voltarmos cá mais.  A descrição parece caricaturada, mas na realidade é o que se vai passar. Depois do fado, seremos distinguidos pelas SCUTS. Este é um exemplo de como a electrónica é utilizada para complicar e não para simplificar.

 

(Publicado no Aparelho de Estado)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:37

Paredes de vidro.

por Tomás Vasques, em 11.10.10

O PCP lamentou a atribuição do prémio Nobel da Paz 2010 ao chinês Liu Xiaobo. Este dissidente teve a ousadia de encabeçar os protestos na praça Tiananmen, em 1989, e foi condenado por um tribunal de Pequim a 11 anos de prisão, acusado de «subverter a ordem estabelecida».  Os comunistas portugueses, em memória dos seus presos políticos no tempo da ditadura, deviam ter vergonha deste comunicado. Mas, por outro lado, o PCP ficou surdo e mudo, à sucessão dinástica na Coreia do Norte, onde por ordem do monarca Kim Jong Il, o seu filho, Kim Jong Un, de 26 anos, é nomeado general de 4 estrelas, dirigente do partido, membro do governo e sucessor do paizinho. Quando, em Portugal, o PCP fala em «democracia» já toda a gente sabe do que fala.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:16

Não há volta a dar.

por Tomás Vasques, em 10.10.10

Pedro Passos Coelho, por inabilidade política e ânsia de marcação de agenda, colocou-se (sobretudo a partir do discurso do Pontal) na posição de principal responsável pela aprovação (ou não aprovação) do Orçamento do Estado. Há a percepção generalizada de que 1) as medidas anunciadas pelo governo são más para todos, mas são necessárias; 2) se o OE não for aprovado vamos directamente para a fossa; 3) que as ameaças de chumbo do OE por parte do PSD têm mais a ver com a sobrevivência política de Passos Coelho do que com a defesa de uma solução para aliviar as dificuldades dos portugueses. O presidente do PSD deixou-se encurralar, ao ponto de se recusar a falar a jornalistas sobre o OE, o que revela uma fragilidade que nada abona a seu favor como futuro primeiro-ministro. As sondagens vão dando conta disso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:05

Combate de Blogues.

por Tomás Vasques, em 10.10.10

Hoje, O Rodrigo Moita de Deus, em directo, assumiu-se como republicano.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:02

Vamos baixar a despesa do Estado (3).

por Tomás Vasques, em 09.10.10

Os aparelhos partidários (de todos os partidos), mal lhes falam em desengordurar o aparelho de Estado (autarquias incluídas), calçam as luvas de boxe e saltam de imediato para o ringue. É um instinto de defesa. Os tempos que correm aconselham mais moderação. Tanto empenho confunde-se com desespero.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:58

Vamos baixar a despesa do Estado (2).

por Tomás Vasques, em 08.10.10

Leio-o nos jornais que o Estado despendeu com o seu sector empresarial não financeiro, este ano e até 30 de Setembro, 314,1 milhões de euros. Deste montante, a comunicação social recebeu a maior fatia. A RTP recebeu 122,5 milhões de euros em indemnizações compensatórias e 88 milhões em dotações de capital, ou seja, mais de dois terços do total de verbas estatais entregues este ano. Insisto: A despesa do Estado sai do dinheiro que os portugueses ganham com o seu trabalho. Cada euro é importante. Privatize-se a RPT.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:17

Vamos baixar a despesa do Estado.

por Tomás Vasques, em 08.10.10

A despesa do Estado sai do dinheiro que os portugueses ganham com o seu trabalho. Cada euro é importante. Um depósito de gasolina mal gasto; um jantar de vaidades; um Administrador de empresa pública a mais – tudo conta. Aqui está, mais coisa, menos coisa, uma boa proposta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:46




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.



Contador

eXTReMe Tracker