Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Notícias do folclore transmontano.

por Tomás Vasques, em 03.11.09

Leio nos jornais que o senhor Wilson Faria, eleito presidente da Junta de Freguesia de Santo Ildefonso, no Porto, pela coligação PSD/CDS, fez aprovar ilegalmente o Executivo da dita Junta ao incluir o filho, o 19º da lista, sem a renuncia ao mandato de todos os eleitos que estavam à sua frente. A tomada de posse já foi anulada e a nova eleição da Junta de Freguesia será repetida. O senhor Faria classificou, em declaração aos jornais, a ilegalidade como “uma coisa normal” e considerou que “não é importante” o facto do beneficiado ser o seu filho. Razão tinha Rui Manchete, presidente da mesa do Conselho Nacional do PSD, quando afirmou recentemente: «Para muitos militantes, o PSD transformou-se numa máquina de conquista de poder.» Se o PSD tivesse ganho as últimas legislativas íamos conhecer o que é o «folclore transmontano» a sério.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:04

Liberdade de imprensa.

por Tomás Vasques, em 01.11.09

 

Toda a direita protestou quando leu hoje no Editorial do Público: «Vamos estar obcecados com a isenção, a investigação, a profundidade e os temas de proximidade. (…) Não serviremos governos, nem procuraremos certificados de bom comportamento. Prosseguiremos uma nova etapa do caminho, no respeito pelos valores que nos guiam desde o primeiro dia.» É difícil perceber estas cabeças ou, então, está claro que gostam mais de animais amestrados. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:27

Citações.

por Tomás Vasques, em 01.11.09

«Quando foi presidente do PSD, Marcelo acabou mal. Hoje, ao fim de treze anos de exílio, amadureceu e tem um certa gravitas, que dantes lhe faltava. Em teoria, é um "chefe" perfeito. Conhece o regime e o partido como ninguém; professor de Direito Público e com uma cultura económica respeitável, não corre o perigo de cair nas mãos de "peritos" sem senso ou sensibilidade social; fala "bem"; e, como é notório, "passa" optimamente na televisão. Só que há um vácuo no centro da personagem: um vácuo de convicção. Com duas páginas de jornal e um programa de meia hora por semana na RTP, no fundo ninguém sabe o que Marcelo verdadeiramente pensa, nem o que ele quer para ele e para o país. O que não deixa de ser inquietante.»

Vasco Pulido Valente, Público, 1.11.09

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:15

Pág. 6/6




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.



Contador

eXTReMe Tracker