Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



||| Onde está o Wally?

por Tomás Vasques, em 29.02.08

Rui Bebiano valoriza uma reunião interna do PS, independentemente de ser convocada como o pomposo nome de Novas Fronteiras (não confundir Estados Gerais) como se de um acontecimento político nacional transcendente se tratasse. Militantes socialistas reuniram-se para transmitirem o seu apoio às políticas do Governo. Ponto. Apareceram meia dúzia de não-filiados. Ponto. Circuito fechado? Claramente que sim. Onde está o Wally?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:23

||| Blogues e Liberdade de expressão.

por Tomás Vasques, em 28.02.08

Vai para aí uma ladainha a propósito de um texto de Eduardo Pitta sobre blogues, liberdade de expressão e trabalhadores por conta de outrem. À controvérsia, João Gonçalves e Luís Naves já acrescentaram opinião. É uma interessante discussão. No entanto, o tema tem antecedentes, apesar de, na altura, não ter suscitado polémica. Foi quando alguém, na bloga, censurou o facto de «assessores do governo» (trabalhadores por conta de outrem) escreverem num blogue. A questão que se coloca é, em rigor, a mesma, já que não consta em nenhum dos manuais que consultei que a liberdade de expressão é um estatuto apenas conferido à irreverência ou à oposição (exercícios simpáticos em democracia). Se um professor universitário não deve ser censurado por escrever num blogue o que lhe vai na alma, porque razão um «assessor do governo» é censurado pelo facto de exercer o mesmo direito? Só porque a sua irreverência não é, no contexto actual, irreverente ou oposicionista? Os aprendizes de feiticeiro não se podem esquecer que o mundo é a cores. Não é a preto e branco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:47

||| Orfandade.

por Tomás Vasques, em 28.02.08

Há coisas para as quais ainda não estou preparado. Provavelmente, o mal está na falta de leitura. Ando a ler pouco ultimamente, o que deve diminuir a minha capacidade de entendimento. Passo a explicar as minhas perplexidades. Tenho alguns amigos de direita ou de centro direita, para o caso tanto faz. O que é natural. E o que é para mim um «amigo de direita»? Primeiro é um amigo, o que é mais importante que ser de direita ou de esquerda. Depois, é um amigo que, nos últimos vinte anos, sem hesitações, votou sempre no PSD (nas legislativas, nas autárquicas ou nas presidenciais) ou que, sem desfalecimento, nem mal estar difuso, defendeu com unhas e dentes, a maioria absoluta de Cavaco Silva durante 8 anos (mesmo quando Cavaco dizia que não lia jornais ou pedia que o deixassem trabalhar). Ora, acontece que estes meus amigos, pelo menos os que contactei nos últimos dias, dizem-me que vão estar presentes nas manifestações de Março. Perguntei, incrédulo: - mesmo à do PCP? A essa não, é muito partidária. – Responderam-me. – Só vamos às outras, à dos professores e à da Função Pública. Eles – os meus amigos – que, ainda há pouco tempo, me diziam que os sindicatos eram apenas uma «correia de transmissão» do PCP. Só posso tirar uma conclusão: estes meus amigos estão órfãos. E o transtorno «psicológico» é tão grave que uns se viram para Salazar, outros para a «revolução». A direita já não é o que era. Perdeu a identidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:40


Os militantes do PCP que, sábado à tarde, integrarão a Marcha pela Liberdade, em Lisboa, deviam lembrar-se de Ingrid Betancourt. Há 6 anos presa. Sequestrada. Sem acusação, nem julgamento. Muito doente, segundo os últimos testemunhos. Ninguém defende a liberdade quando é cúmplice de sequestros e prisões desta natureza.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:13

||| Agenda cultural [11].

por Tomás Vasques, em 28.02.08

Helena Justino, O prazer da Arte, GalleryCenter, no Shopping Comercial Amoreiras. A exposição, está aberta ao público das 10 às 23 horas, até ao próximo dia 17 de Março.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:52

||| Sopros.

por Tomás Vasques, em 28.02.08

Com o devido respeito pelas investigações do Ministério Público, penso que um apito, mesmo dourado, soprado por uma Carolina Salgado, é coisa que não vai apitar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:12

||| A revolução está na ordem do dia.

por Tomás Vasques, em 28.02.08



Constança Cunha e Sá, depois de nos ameaçar com uma «revolução como deve ser, a breve prazo» termina o seu texto de opinião de hoje, no Público, com a frase: «… o país se encontra, de facto, numa situação sem saída.» Aliás, esta conclusão fatídica está em sintonia com a conclusão de Vasco Pulido Valente, expressa a semana passada, segundo a qual: «O destino de Portugal é, como sempre foi, apodrecer ao sol.» Ora, mesmo dando de barato «o optimismo balofo do primeiro-ministro» ou a «mediocridade reinante» a que alude Constança Cunha e Sá, há no discurso de ambos uma frustração política a «apodrecer ao sol»: não vislumbram, no imediato, alternativa credível ao actual governo. Nem à direita, em Filipe Menezes/Santana Lopes e Paulo Portas; nem à «esquerda», em Jerónimo de Sousa e Francisco Louça. E isso é uma ideia insuportável para a direita. Assim sendo, sem tubo de escape, o «mal estar difuso» vai explodir, como explicou o general Garcia Leandro e a SEDES, avisa Constança Cunha e Sá, como nos tem avisado o PCP. A «democracia burguesa» está por um fio. A revolução entrou, pois, na ordem do dia. E se Constança Cunha e Sá nos avisa é porque sabe do que fala. Se ao menos «isto» durasse até às próximas eleições legislativas para vermos os resultados já não era mau.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:52

||| Pacto de Varsóvia.

por Tomás Vasques, em 27.02.08
O Francisco está atento a todas os movimentos militares dos países do ex-Pacto de Varsóvia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:35

||| Citação [7].

por Tomás Vasques, em 27.02.08

A pequena história de uma grande ministra, Manuel Carvalho, editorial do Público, 27.02.08. (Transcrição parcial. Sublinhados meus)


«A ministra da Educação caminha a passos largos para a conquista do estatuto da mulher certa na plateia errada. No último Prós e Contras, da RTP 1, era impossível não concordar com a justeza da maioria dos seus argumentos e de não lhe reconhecer coragem pelo empenho com que defendia reformas que, em alguns casos, vegetam há décadas no limbo do conservadorismo e da indecisão. Mas era também impossível não reparar que o seu discurso esbarra num muro intransponível, feito de rejeição, hostilidade e ressentimento que impedem qualquer esboço de diálogo. (...)



O que o programa de anteontem da RTP revelou com contornos negros é o drama de algúem que, no essencial, tem razão, mas que é incapaz de a fazer valer aos que a rodeiam. As escolas necessitam de novas regras de gestão, com a participação das autarquias e dos pais, os professores precisam ser avaliados. É isso que a ministra defende. Mas a política nem sempre é terreno fértil para a razão

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:29

||| Os sonhos de outras paragens.

por Tomás Vasques, em 26.02.08
Há poucos meses - em Outubro do ano passado - o ministro da Educação de Cuba, Luis Ignácio Gomez, falou sobre a fuga de professores na audiência de uma comissão da Assembleia Nacional. Disse, então, o ministro cubano, que entre as causas do êxodo estão o salário insuficiente (10 euros/mês, em 2007). O ministro citou ainda a «falta de casa, transporte e roupas» entre os problemas enfrentados pelos professores cubanos. Também disse que os professores estão insatisfeitos com o "pequeno reconhecimento" que recebem pelo seu trabalho. Muitos professores abandonaram a actividade para trabalhar em empregos mais bem remunerados no sector turístico.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:52

||| Ler os outros.

por Tomás Vasques, em 26.02.08
Pedro Rolo Duarte: «O que restava de certa esquerda a correr-me no sangue foi varrido em escassos dez dias, nos idos de 1993, quando umas inesperadas férias me levaram a Cuba. (…) Mas, em vez dessa felicidade que a propaganda vendia a rodos, em vez desse povo em festa permanente nas ruas, imagem de cartaz e de postal, encontrei miséria em todos os cantos e recantos da Ilha. Miséria disfarçada e escondida numa paz podre feita de policias que controlavam policias e outros policias para controlar os restantes. Miséria descarada nos racionamentos, nos professores universitários que acumulavam empregos para poder comprar um frango

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:49

||| Avaliações.

por Tomás Vasques, em 26.02.08
«O que não se aprende na escola» - um testemunho de experiência.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:23

||| Matar dois coelhos de uma cajadada só...

por Tomás Vasques, em 26.02.08
A Cristina, usando o seu refinado sentido de humor, associou o que aqui se escreveu aos mais recentes conhecimentos científicos. O resultado dá para pensar!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:29

||| Mais resumos.

por Tomás Vasques, em 26.02.08
O Público também nos brinda com resumos de obras literárias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:47

||| Memória e esquecimento.

por Tomás Vasques, em 25.02.08

«Precisa-se: povo no poder. Cozinheiras: abstenham-se» - diria Glucksmann.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:48

Pág. 1/9




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.



Contador

eXTReMe Tracker