Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Afinal, somos gregos.

por Tomás Vasques, em 19.09.11

 

 

O governo português, nomeadamente o primeiro-ministro, no que tem sido acompanhado pelo Presidente da República, têm insistido em transmitir, com tanta convicção, como subserviência, aos nossos credores, a ideia de que "Portugal não é a Grécia". No começo deste mês, Passos Coelho foi em peregrinação a Berlim vender esta ideia, que encerra todo um programa anti-europeu, à senhora Merkel. A ânsia de distanciamento em relação à Grécia só pode ser entendida como falta de solidariedade para com um dos estados-membros a atravessar dificuldades que resultam, tal como em Portugal, de muitos e muitos anos e de muitos e muitos governos. Esta falta de solidariedade, este apontar o dedo à Grécia como a "má da fita", excomungando-a, é das atitudes políticas que mais contribuem para a desagregação da União Europeia e do euro. É uma ideia querida entre a direita europeia mais conservadora e a extrema-direita, mas completamente desajustada na boca de dirigentes políticos, mesmo de direita, de um país como Portugal. Até o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, tem uma postura mais europeísta que o nosso primeiro-ministro e o nosso Presidente da República. Ontem, em Varsóvia, declarou que a Zona Euro, no seu conjunto, apresenta melhores resultados do que as economias de outros grandes países desenvolvidos, citando o exemplo dos Estados Unidos, onde o défice é de 8,8% contra os 4,5% na Zona Euro. E sublinhou que "estão a ser corrigidos os erros ao nível de alguns países, considerados individualmente", com défices e dívidas públicas altas, provavelmente referindo-se à Grécia, mas também a Portugal. Olhar a União Europeia como um todo e a Zona Euro no seu conjunto é a única atitude que nos pode salvar da ganância dos mercados e do espírito desagregador que se instala por todo o lado.

 

(Na integra aqui)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:07




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

SOBRE LIVROS E OUTRAS ARTES

CONSULTA

LEITURA RECOMENDADA.



Contador

eXTReMe Tracker